Barnier frisa "responsabilidade" de dar "todas as hipóteses" às negociações

UE e o Reino Unido decidiram este domingo prosseguir as negociações em busca de um acordo sobre as relações futuras pós-Brexit nos próximos dias

O negociador-chefe da União Europeia (UE) para um acordo comercial pós-Brexit com o Reino Unido, Michel Barnier, afirmou esta segunda-feira que os dois parceiros têm a responsabilidade de "dar às negociações todas as hipóteses de sucesso".

"Temos a responsabilidade de dar às negociações todas as hipóteses de sucesso", escreveu Michel Barnier na rede social Twitter.

O tweet foi publicado após Michel Barnier se ter reunido com os 27 embaixadores dos Estados-membros e com eurodeputados para clarificar os parceiros europeus acerca do estado das negociações com o Reino Unido.

Na mensagem publicada após a reunião, Barnier frisou ainda que os "próximas dias são importantes" para que um acordo comercial entre a UE e o Reino Unido possa entrar em vigor a 1 de janeiro de 2021, e sublinhou que "nunca antes" se negociou um acordo deste tipo "em tão pouco tempo".

"Nunca antes um acordo tão abrangente (comércio, energia, pescas, transportes, cooperação policial e judiciária, etc.) foi negociado com tanta transparência e em tão pouco tempo", apontou Barnier.

Michel Barnier sublinhou ainda que as pescas e o level playing field [condições de concorrência justa entre empresas britânicas e europeias] continuam a ser os principais pontos de bloqueio entre os parceiros.

"Concorrência justa e uma solução sustentável para os nossos pescadores e pescadoras são chave para chegar a um acordo", realçou Barnier.

No domingo, a UE e o Reino Unido decidiram prosseguir as negociações em busca de um acordo sobre as relações futuras pós-Brexit nos próximos dias.

Apesar de novo prolongamento - tendo em conta que os dois parceiros tinham definido o domingo como data-limite para as conversas - as negociações não podem prolongar-se por mais de alguns dias, já que um eventual acordo tem de ser ainda ratificado -- designadamente pelo Parlamento Europeu -- antes de entrar em vigor, a 1 de janeiro de 2021.

O Reino Unido abandonou a UE em 31 de janeiro, tendo entrado em vigor medidas transitórias que caducam no próximo dia 31 de dezembro.

Na ausência de um acordo, as relações económicas e comerciais entre o Reino Unido e a UE passam a ser regidas pelas regras da Organização Mundial do Comércio (OMC) e com a aplicação de taxas aduaneiras e quotas de importação, para além de mais controlos alfandegários e regulatórios.

As duas partes estão a preparar-se para o cenário de ausência de acordo (no deal), ainda apontado como o mais provável, e tanto UE como o Reino Unido estão a acelerar os respetivos planos de contingência.

Do lado europeu, a Comissão Europeia publicou na passada quinta-feira planos de contingência para que não sejam interrompidas a circulação rodoviária, o tráfego aéreo e as atividades de pesca, enquanto o Reino Unido confirmou este fim de semana que quatro navios da Marinha britânica estão a postos para proteger as águas de pesca do Reino Unido se não houver acordo com a UE.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG