Ninguém quer enterrar o autor do atentado de Manchester

Várias mesquitas e funerárias recusaram realizar as cerimónias fúnebres de Salman Abedi

As autoridades britânicas estão a tentar impedir que o corpo do terrorista Salman Abedi seja enterrado ou cremado em Manchester, a cidade onde o jovem de 22 anos realizou o atentado que matou 22 pessoas e feriu mais de 60.

Segundo o Manchester Evening News, o corpo do bombista suicida tem sido mantido num local diferente de onde estão as vítimas do atentado, numa morgue fora de Grande Manchester. As autoridades dizem estar a fazer "tudo o que está ao seu alcance" para evitar que Abedi seja enterrado ou cremado nesta cidade.

"Tal como Ian Brady, todos os esforços vão no sentido de garantir que não há hipóteses de Abedi ser enterrado ou cremado em Manchester", disse uma fonte, comparando o terrorista a um famoso assassino em série de Manchester.

A imprensa britânica avança ainda que várias mesquitas e funerárias se têm recusado a realizar as cerimónias fúnebres de Salman Abedi.

A Mesquita Central de Manchester disse não ter nada a ver com os restos mortais do terrorista. Um porta-voz do templo, que é também um dos principais organizadores de funerais para a comunidade muçulmana naquela cidade do norte de Inglaterra, disse ao diário The Times que a atrocidade de Abedi era contra a doutrina do Islão.

Neste momento, o corpo de Abedi está sob a responsabilidade do médico legista e é ele quem tomará a decisão final sobre onde o enterrar ou cremar.

A família do Abedi não pode reclamar o corpo do bombista suicida porque vive na Líbia. O pai e o irmão mais novo do terrorista foram detidos em Tripoli, capital da Líbia, dias depois do atentado, e outro irmão de Abedi foi detido em Manchester. A mãe do terrorista está em liberdade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG