Autoridades indianas cortam telecomunicações em áreas centrais de Nova Deli

As autoridades indianas cortaram hoje as telecomunicações em algumas áreas da capital da Índia, Nova Deli, onde estão proibidas manifestações contra uma controversa lei de cidadania que exclui muçulmanos.

Funcionários de duas grandes operadoras móveis indianas, a Airtel e a Vodafone India, indicaram à agência de notícias France-Presse (AFP) que, a pedido do Governo, os seus serviços foram cortados nas áreas centrais da capital.

A polícia deteve hoje na capital mais de 100 manifestantes que, num desafio à proibição das autoridades, preparavam-se para realizar uma manifestação no emblemático Forte Vermelho.

Dezenas de manifestações são esperadas em todo o país à medida que cresce a oposição à nova lei de cidadania.

A nova legislação aplica-se a hindus, cristãos e outras minorias religiosas que estão na Índia de modo ilegal e que podem alegar serem vítimas de perseguição religiosa por parte das maiorias muçulmanas do Bangladesh, Paquistão ou Afeganistão.

Os críticos dizem que a nova lei faz parte da agenda do Governo do primeiro-ministro, Narendra Modi, liderado pelos nacionalistas hindus, para marginalizar os 200 milhões de muçulmanos da Índia, e que vai contra o espírito da constituição secular do país.

Estudantes universitários islâmicos de toda a Índia têm liderado uma campanha contra a lei.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG