Ativistas pelo clima invadem centro financeiro de Londres

Ativistas exigem que o governo de Londres declare "emergência climática e ecológica" e adote medidas imediatas para reduzir as emissões de gás com efeito de estufa antes de 2025.

Centenas de ativistas pelo clima do grupo Extinction Rebellion invadiram esta segunda-feira o centro financeiro de Londres para manifestarem repúdio por as grandes corporações financiarem os combustíveis fósseis.

Muitos manifestantes, protegidos da intensa chuva com lonas verdes e guarda-chuvas, envergaram bandeiras nas quais se via o logótipo do Extinction Rebellion, outros tocavam tambores e alguns distribuíam folhetos em que se lia "sinto muito", explicando por que se manifestavam.

Exibiram também cartazes com mensagens contra as instituições financeiras e grandes empresas, nos quais pediam para que se deixe de "custear a crise climática".

Durante a semana passada, quando se iniciaram as ações, os ativistas bloquearam o parlamento britânico e ocuparam o aeroporto de London City.

Com os protestos desta segunda-feira nas imediações do Banco de Inglaterra, o grupo pretende mostrar a sua revolta face ao financiamento dos combustíveis fósseis que prejudicam o ambiente.

A Polícia Metropolitana de Londres efetuou várias detenções em torno da entidade financeira, onde foi bloqueado um movimentado cruzamento de trânsito.

No Reino Unido, o Extinction Rebellion fez um apelo ao Governo de Londres, instando-o a declarar "emergência climática e ecológica" e a adotar medidas imediatas para reduzir as emissões de gás com efeito de estufa antes de 2025.

Espera-se que esta semana dezenas de ativistas compareçam em tribunal, alguns devido à implicação em protestos realizados em abril.

No final de setembro, o grupo Extinction Rebellion bloqueou o cruzamento entre a Avenida Almirante Reis e a Rua de Angola, impedindo a circulação junto ao Banco de Portugal, em Lisboa.

Exclusivos