Atirador de Ohio já tinha sido suspenso da escola por ter lista de raparigas a violar

O atirador de Dayton, no Ohio, que matou nove pessoas no domingo, tinha uma "lista de alvos" relativa a colegas de turma e uma "lista de violações" de raparigas que ele queria agredir sexualmente.

Connor Betts, de 24 anos - que abriu fogo num bar de Dayton que estava cheio, na madrugada de domingo, ferindo várias dezenas de pessoas e tendo matado nove, entre as quais a própria irmã -, tinha um historial de ameaças violentas que o levara já a duas suspensões da escola antes do massacre que protagonizou no último fim de semana.

Da última vez que teve problemas disciplinares na escola, Betts foi suspenso, durante o primeiro ano na Bellbrook High School, em 2012, por ter sido encontrada numa casa de banho da escola uma lista de pessoas que queria matar, segundo informaram colegas de escola do suspeito.

Antes disso, contudo, uma primeira suspensão tinha sido motivada por uma outra lista de potenciais alvos, dessa vez para agressão sexual, segundo antigos colegas que não quiseram ser identificados. "Havia uma lista de mortes e uma de violações, e o meu nome estava na lista das violações", disse uma dessas colegas à Associated Press.

Esta jovem de 24 anos, ex-líder de claque, disse que não conhecia Betts e ficou surpreendida quando um polícia ligou para o seu telemóvel durante o primeiro ano para dizer que o seu nome estava numa lista de potenciais alvos. "O agente disse-me que ele iria ficar afastado da escola por algum tempo", disse a jovem. Mas a verdade é que regressou passado pouco tempo. "E nem nos deram aviso de que tinha voltado à escola", afirmou.

O distrito escolar não quis comentar estas afirmações, apenas confirmou que Betts frequentou as escolas. No entanto, a polícia disse que não havia nada no seu registo que o impedisse de comprar uma arma de calibre 223, que usou no ataque de domingo. Isto porque a lista de alvos encontrada no início de 2012 desencadeou uma investigação policial, de acordo com os meios de comunicação locais, mas não ficou claro se levou a alguma ação adicional para tentar concretizar as ameaças que constavam da lista.

A arma de Betts (que também morreu, abatido pela polícia) usada no tiroteio foi comprada legalmente online num revendedor do Texas, segundo a policia. A irmã de Betts, Megan Betts, de 22 anos, foi uma das primeiras a ser morta. Das 27 pessoas feridas, quatro permanecem em estado grave e uma em estado crítico.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG