Ataques a imigrantes coordenados através de redes sociais

Grupos de extrema-direita apelaram a "passeios" no centro da cidade através do Facebook

Os ataques a estrangeiros de domingo em Colónia, oeste da Alemanha, foram coordenados através das redes sociais a partir de apelos de apoiantes da extrema-direita para "passeios" no centro da cidade, disse hoje a polícia local.

Os apelos, disse um porta-voz da polícia, foram feitos com o propósito expresso de "atacar pessoas não alemãs".

Doze homens - sírios, paquistaneses e africanos - foram vítimas de vários ataques no domingo em Colónia, onde na noite de passagem de ano centenas de mulheres foram atacadas e sexualmente agredidas por um grande grupo de homens, muitos dos quais de origem estrangeira.

A polícia registou no domingo quatro ataques que qualifica de "crimes anti-estrangeiros", disse o chefe de divisão Norbert Wagner.

Desde quinta-feira, várias pessoas identificadas pelas autoridades como envolvidas em atos de 'hooliganismo' colocaram apelos nas redes sociais para "passeios não-violentos" no centro de Colónia, segundo o mesmo responsável.

O termo "passeios", disse, é comummente utilizado para as marchas de grupos de extrema-direita. Nestes quatro casos, presumimos que haja uma ligação com os chamados 'passeios'", disse Wagner.

Até ao momento nenhum dos atacantes foi detido, apesar de a polícia ter interrogado 153 pessoas no domingo à noite.

O chefe de operações de Colónia, Michael Temme, disse que a polícia vai intensificar as patrulhas na cidade nos tempos mais próximos, especialmente nas proximidades da estação de comboios e da catedral. "Vamos estar ativos e fazer todos os possíveis" para impedir ataques, disse.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG