Ataque no Mali provocou 79 mortos e 115 feridos

Informações das Nações Unidas no terreno

O ministério da Defesa Nacional divulgou hoje, com base em "informações das Nações Unidas no terreno", que o ataque ocorrido esta manhã na cidade de Gao, Mali, provocou 79 mortos e 115 feridos, apenas de forças malianas.

O ministro português da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, tinha afirmado de manhã, em declarações aos jornalistas no parlamento, que o ataque tinha provocado a morte de "dezenas de membros da MINUSMA e dezenas e dezenas de feridos".

De acordo com o gabinete do ministério da Defesa Nacional, aquelas declarações do Azeredo Lopes tiveram como base "dados preliminares" posteriormente corrigidos.

Assim, adiantou o ministério da Defesa, afirmando citar "informações das Nações Unidas no terreno", o ataque provocou "79 mortos e 115 feridos, apenas forças malianas".

Ouvido hoje de manhã na comissão parlamentar de Defesa, o ministro da tutela, Azeredo Lopes, transmitiu aos deputados a ocorrência deste ataque, do qual não há vítimas portuguesas.

Segundo fonte do ministério da Defesa, o avião C-130 da Força Aérea Portuguesa que está ao serviço da missão da ONU (MINUSMA) no campo militar Bifrost, perto do aeroporto de Bamako, foi empenhado na retirada dos feridos do local do ataque.

A participação portuguesa na missão da ONU no Mali, sediada no campo Bifrost, conta com 75 militares, disse o ministro, que visitou o campo em dezembro passado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG