Assad diz que "países hostis à Síria" estão a ajudar terroristas

Presidente sírio diz que só Irão e Rússia são "amigos" do regime e auxiliam no combate ao terrorismo

O presidente sírio, Bashar al-Assad, acusou hoje os países "hostis à Síria", sem os nomear, de aumentarem o apoio aos "terroristas" no seguimento da ofensiva das forças leais ao regime, auxiliadas pelo Irão e pela Rússia.

No final de uma reunião com o conselheiro para os assuntos internacionais do líder supremo iraniano, Bashar al-Assad salientou as "importantes realizações do Exército Árabe Sírio na luta contra o terrorismo, com o apoio dos amigos Irão e Rússia", de acordo com a agência de notícias local, Sana.

Estas "realizações", continuou, "levaram alguns países hostis à Síria, que pretende combater o terrorismo, a aumentar o financiamento e o armamento de grupos terroristas", disse Assan.

No sábado, o exército sírio tinha acusado o governo turco de aumentar o "apoio aos terroristas e entregas de armas e munições".

Bashar Al-Assad mostrou-se também determinado em continuar a luta contra o terrorismo com os seus aliados russos e iranianos.

O Irão sublinhou, através do conselheiro do líder supremo, igual "determinação" neste empreendimento, considerando que "o combate ao terrorismo é crucial para a região e para o mundo".

Desde 2011, o conflito na Síria já fez mais de 250 mil mortos e mais de 10 milhões de sírios tiveram de abandonar as suas casas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG