Archie vai ser batizado longe dos olhares públicos... e sem a rainha

Filho do príncipe Harry e de Meghan Markle será batizado este sábado no Castelo de Windsor

Archie Harrison Mountbatten-Windsor, o filho de dois meses do príncipe Harry e de Meghan Markle, vai ser batizado este sábado, numa pequena cerimónia privada, numa capela no Castelo de Windsor. E nem a rainha Isabel II estará presente.

"O duque e a duquesa de Sussex estão ansiosos por partilhar algumas imagens tiradas no dia pelo fotógrafo Chris Allerton", segundo o comunicado oficial do evento, indicando ainda que não serão revelados os padrinhos de Archie, que nasceu a 6 de maio. Allerton já foi o fotógrafo que tirou a foto do momento em que a rainha Isabel II conheceu Archie.

A cerimónia do batizado do sétimo na linha de sucessão ao trono britânico será liderada pelo arcebispo da Cantuária, Justin Welby.

A rainha não estará presente (tal como não esteve no ano passado no batizado do príncipe Louis, o terceiro filho de William e Kate) porque já tinha combinado passar o fim de semana na sua casa de campo em Sandringham, com o príncipe Philip.

O segredo em torno do batizado real (maior do que o normal) foi acolhido com críticas por parte dos media britânicos. No caso do batizado dos filhos do príncipe William e de Kate, as cerimónias também foram privadas, mas o público podia ver a entrada e saída dos convidados, tendo o acesso aos media sido também garantido. A cerimónia na capela privada do Castelo de Windsor afasta essa possibilidade.

Os media criticaram o facto de os duques de Sussex terem aceitado fundos públicos para pagar o seu casamento e para a renovação da sua nova casa, Frogmore Cottage (2,4 milhões de libras), ao mesmo tempo que negam a possibilidade de o público assistir à sua chegada ao batizado.

"Meghan não pode pedir privacidade para o bebé Archie e ao mesmo tempo pedir ao público dinheiro para financiar o estilo de vida da família", escreveu a colunista Celia Walden, no TheDaily Telegraph. Já Penny Junor, que escreveu uma biografia de Harry, disse ao The Times: "Eles não podem ter as suas coisas. Ou ficam totalmente privados, pagam a sua própria casa e desaparecem da nossa vista, ou jogam o jogo da forma como é jogado."