Archie. Seis certezas que resultam da certidão de nascimento

O documento oficial registando o nascimento do novo bebé real foi agora divulgado e está a ser analisado à lupa pela imprensa britânica. Cinco factos registados pela BBC. E um acrescentado pelo DN.

Até agora não sabíamos muitos pormenores sobre o filho de Harry e Meghan, duque e duquesa de Sussex. A certidão de nascimento esclarece alguns pormenores.

Facto 1. Onde nasceu?

Archie não nasceu em casa. Circulava especulação nesse sentido, dizendo que a criança poderia ter nascido na casa do casal, em Windsor. É falso. Nasceu no Portland Hospital, em Westminster, no centro de Londres. Beatrice e Eugenie, filhas de Sarah ("Fergie") e do príncipe André, filho da rainha Isabel, já tinham nascido na mesma unidade privada de saúde.

Facto 2. A ocupação da mãe

Meghan Markle era atriz nos EUA quando conheceu o príncipe Harry, sexto na linha de sucessão, filho mais novo de Diana e de Charles, neto da monarca reinante do Reino Unido, Isabel II. Depois apaixonaram-se e casaram. E agora qual a é a ocupação oficial de Meghan? A certidão de nascimento do filho de ambos, Archie, esclarece essa importantíssima dúvida: Meghan, duqueza de Sussex pelo casamento com Harry (ele próprio duque de Sussex) é tecnicamente "princesa do Reino Unido".

Facto 3. Quanto tempo para registar a criança?

O príncipe Harry demorou onze dias a registar o filho. Archie nasceu em 6 de maio e a data de registo é 17 de maio. Um prazo "bastante normal", disse à BBC uma especialista destas coisas, Alicja Gilroy, superintendente dos registos em Oxford. O prazo legal seria de 42 dias.

Facto 4. Quem a registou?

Quando os pais são oficialmente casados, basta um deles para registar a criança. Foi o que aconteceu. Coube a Harry registar o filho Archie​​​​​​. Os pais costumam não gostar de ir sozinhos porque têm medo de se esquecer de datas necessárias - a data do casamento, por exemplo - e depois não a querem perguntar à esposa. Mas não foi o caso do Duque de Sussex.

Facto 5. Sem tratamento especial

O facto de se estar perante um bébé real não suscitou tratamento especial na Conservatória de Westminster, onde o registo foi feito. Quem assinou o documento foi um funcionário subalterno, Dexsha Mevada, que era quem estava de serviço.

Facto 6. E o nome, é mesmo Archie?

Esta era uma dúvida pessoal do autor deste texto. A criança chama-se mesmo Archie ou Archie é apenas um diminuitivo de Archibald (um nome ultra "posh" nas elites britânicas)?

Resposta: a criança chama-se mesmo Archie, como Archie Bunker, o personagem central da sitcom norte-americana "Tudo em família" (passou muito em Portugal mas foi há tanto tempo que só as pessoas com mais de quarenta anos se lembram).

Archie Bunker, note-se, foi uma personagem que retratou muito avant la lettre o que parece ser hoje o eleitor médio de Donald Trump nos EUA: conservador, branco, racista, homofóbico, individualista. Há pessoas escandalizadas com a falta de "pedigree" aristocrático no primeiro nome do novo bebé real.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.