Anna Gabriel alvo de mandado de detenção apenas em Espanha

Ex-porta-voz da CUP decidiu ficar na Suíça e não compareceu diante do juiz Pablo Llarena.

O juiz Pablo Llarena, do Supremo Tribunal, emitiu um mandado de captura apenas em Espanha contra Anna Gabriel, a ex-porta-voz da Candidatura de Unidade Popular (CUP).

A procuradoria espanhola pedia que fosse emitido um mandado de captura internacional, depois de Gabriel ter optado por ficar na Suíça e não comparecer diante do juiz, que investiga a organização do referendo independentista catalão de 1 de outubro.

"O Supremo Tribunal ordenou a detenção e colocação à disposição do Supremo Tribunal de Anna Gabriel, face à sua não presença hoje diante do instrutor, sem alegar causa legítima que o impeça", informou o tribunal, citado pelos jornais espanhóis.

Anna Gabriel estava convocada para aparecer esta manhã no Supremo Tribunal, em Madrid, mas tinha anunciado que não estaria presente, considerando que não seria alvo de um processo justo em Espanha. Encontra-se na Suíça, que não prevê a extradição em casos de crimes políticos.

"Não teria escolhido vir viver para a Suíça. Se estou aqui é porque a situação é forçada", afirmou Gabriel numa entrevista à televisão catalã. A ex-deputada rejeita que tenha havido qualquer "rebelião violenta" no processo independentista. "É uma perseguição política, quer-se liquidar e humilhar o independentismo", acrescentou, dizendo que ao ficar na Suíça quer mostrar que é perseguida "por decisões políticas".

Anna Gabriel explica ainda que se houvesse um pedido de extradição por parte de Espanha, que iria pedir asilo político. "Acreditamos que há fundamentos para o pedir", indicou.

A ex-porta-voz da CUP segue assim o exemplo do ex-presidente da Generalitat Carles Puigdemont e de quatro antigos membros do seu governo que optaram por ficar em Bruxelas para não serem ouvidos pela justiça espanhola.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG