Acordo com Reino Unido para o Brexit? Negociador da UE declara-se "não otimista"

Michel Barnier diz-se "não otimista" em relação a um acordo com o Reino Unido, uma vez que a União Europeia irá manter os termos da proposta que já tinha sido negociada com Theresa May e que o atual PM britânico, Boris Johnson, não aceita

O negociador da União Europeia para o ´Brexit´ declarou-se este domingo "não otimista" sobre a possibilidade de evitar um divórcio sem acordo com o Reino Unido, já que Bruxelas não modificará o acordo sobre a mesa. A posição de Michel Barnier foi hoje publicada num artigo pelo Sunday Telegraph.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, chegado ao poder em finais de julho, exige a supressão de uma cláusula relativa à fronteira irlandesa constante no acordo de saída concluído pela ex-chefe de governo Theresa May e com a UE.

Esta disposição, conhecida como rede de segurança (ou backstop, em inglês), prevê que na ausência de melhor solução durante um período transitório, o Reino Unido inteiro permaneça um "território aduaneiro único" com a UE.

Mas para Boris Johnson, esta cláusula impede o Reino Unido de seguir uma política comercial independente, porque ficará constantemente sujeito a regras europeias. Prometeu retirar o Reino Unido do bloco europeu a 31 de outubro, mesmo que não tenha sido possível encontrar um novo compromisso.

Na sua coluna no Sunday Telegraph, Michel Barnier exclui totalmente a supressão do estado de "backstop", necessário, segundo diz, para preservar a integridade do mercado único europeu e manter aberta a fronteira entre a Irlanda do Norte britânica e a República da Irlanda após o ´Brexit´.

"O ´backstop´ representa a flexibilidade máxima que a UE pode oferecer a um estado não membro", escreveu o negociador em chefe da União Europeia.

"Não estou otimista sobre a possibilidade de evitar o cenário de um não acordo, mas continuo determinado a explorar todas as vias que o governo britânico apresente e que sejam compatíveis com o acordo de saída", acrescentou.

Entretanto, o primeiro-ministro britânico, conservador, acusou os companheiros de partido que ameaçam rebelar-se no parlamento contra um ´Brexit` sem acordo de estarem a minar a negociação com a União Europeia.

"A única coisa que poderia minar a capacidade de negociação do Reino Unido seria Bruxelas pensar que há alguma possibilidade de o referendo poder ser cancelado e de o ´Brexit´ poder ser bloqueado", sublinhou Johnson numa entrevista ao diário The Sunday Times.

Após o anúncio da suspensão do parlamento britânico por cinco semanas, até 14 de outubro, os deputados pró-europeus britânicos redobraram esforços para impedir um 'Brexit' sem acordo.

Os deputados britânicos ainda têm algumas opções disponíveis para tentarem bloquear um 'Brexit' sem acordo, apesar de restar pouco tempo, sendo esta semana crucial para aprovar a legislação necessária antes da suspensão do parlamento anunciada pelo governo.

A suspensão do parlamento britânico por cinco semanas, entre setembro e outubro, revoltou grande parte do país e políticos e perturbou o calendário do 'Brexit'.

Na terça-feira, o parlamento britânico retoma os trabalhos após as férias de verão e a oposição deverá começar por pedir um debate de emergência para tentar ganhar o controlo da agenda parlamentar e assim apresentar legislação contra a medida de Boris Johnson.

Exclusivos