Jornalista insulta Melania Trump e é denunciado por Emily Ratajkowski

Repórter do New York Times disse em privado, à atriz Emily Ratajkowski, que a primeira-dama era "prostituta". Foi denunciado

Terá começado tudo no passado fim de semana, numa festa onde esteve a atriz Emily Ratajkowski e um jornalista não identificado do The New York Times. Durante uma conversa que não era suposto tornar-se pública, os dois falaram sobre a primeira-dama dos Estados Unidos, e o repórter apressou-se a comentar que Melania Trump era "prostituta".

No dia seguinte, Emily Ratajkowski decidiu denunciar o insulto, servindo-se das redes sociais: no Twitter, escreveu que se tinha sentado ao lado de um jornalista do New York Times que lhe dissera que Melania "era uma prostituta" e referiu que, independentemente da cor política, era crucial denunciar a discriminação, referindo-se ao sucedido como slut shaming, um insulto à conduta sexual das mulheres. "Não quero saber das imagens despida ou da história sexual dela, e ninguém deveria querer saber", acrescentou, criticando os "ataques sexistas" ao género feminino.

O The New York Times, perante as afirmações da atriz, veio entretanto lamentar o comentário do jornalista: em comunicado, a porta-voz do jornal, Eileen Murphy, considerou que o insulto proferido foi "inapropriado" e baseado em rumores que circulam sobre Melania Trump, não deixando de assinalar que a conversa do repórter com a atriz foi privada e não deveria ter sido tornada pública. Murphy referiu ainda que o jornalista em causa não trabalha na secção de política do New York Times nem cobre assuntos relacionados com a Casa Branca.

Outra resposta motivada pelo aviso de Ratajkowski no Twitter foi da própria primeira-dama, Melania Trump, que na mesma rede social escreveu: "Aplausos para todas as mulheres em todo o mundo que denunciam, se levantam e apoiam as outras mulheres". E dirigiu a mensagem à atriz, marcando a conta de Emily Ratajkowski.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG