Jornal inglês encerra nove semanas após ser criado

A primeira edição do "New Day" é de 29 de fevereiro. A última impressão data desta sexta-feira

Criada para ser lido em 30 minutos, a publicação não chegou às nove semanas de existência. Esta é a curta história do jornal britânico New Day, suportado pelo grupo Trinity Mirror. Com edição diária de 40 páginas, o jornal assumia-se como "politicamente neutro" e procurava atualizar as pessoas que eram "pobres em tempo", esperava a editora Alison Phillips.

A primeira edição data de 29 de fevereiro e a notícia da última impressão, hoje, chegou num longo comunicado nas redes sociais. Phillips explicou que as vendas não suportaram os custos, não deixando outra solução ao diário: "Más notícias. Temo que a edição de amanhã [hoje] do New Day seja a última. Tentámos tudo mas infelizmente não chegámos aos valores necessários para financiar o jornal." Esperava-se que o New Day atingisse as 200 mil vendas diárias para tornar o projeto viável, mas os valores raramente ultrapassaram as 30 mil cópias por dia.

"A equipa tem sido extraordinária", escreveu ainda Phillips, em jeito de agradecimento, "não apenas pelo trabalho e empenho mas por ter tido coragem de arriscar e tentar algo novo quando não havia garantias de sucesso. Só espero que todos os que estiveram envolvidos - leitores, equipa, patrocinadores, ardinas - nunca deixem de tentar coisas novas, porque aí é quando começamos a morrer."

O lançamento foi apoiado por uma campanha publicitária que custou mais de seis milhões de euros, incluindo um anúncio televisivo de trinta segundos, e sob o lema "Aproveita o dia".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG