#gastrodiplomacia. Críticas a prato de frango no Masterchef geram revolta no Sudeste Asiático

O primeiro-ministro da Malásia afirmou que ninguém come frango crocante, argumento que viria a ser aceite pelo seu arqui-rival.

A população do sudeste asiático uniu-se para defender o "rendang de frango", um prato típico da região que foi rejeitado de um programa de culinária britânico por não ser suficientemente crocante. E até o primeiro-ministro da Malásia entrou na discussão.

O chef Zaleha Kadir Olpin, de origens malaias, preparou um prato tradicional do país, conhecido por nasi lemak, servido com frango rendang, nos quartos-de-final do programa "Masterchef UK", transmitido pela BBC, quando os participantes foram desafiados a preparar uma refeição que era importante para eles.

Os juízes John Torode e Gregg Wallace recusaram o acompanhamento de frango, com o argumento de que a pele não era crocante, o que provocou revolta nas redes sociais e um debate viral na Malásia, Indonésia, Singapura e Brunei, onde o prato picante é muito apreciado. Tradicionalmente, o rendang é feito com carne de vaca ou frango, que é cozido lentamente com ervas asiáticas e leite de coco.

KF Seetoh, especialista em comida de rua asiática e fundador do Makansutra, com sede na Singapura, afirmou que "o rendang de frango deve ser autêntico. E é simplesmente estúpido ser crocante", e acrescentou que "dizer que o frango deve ser crocante é o mesmo que dizer que os hambúrgueres devem ser fervidos".

Haikal Johari, de 41 anos, chef executivo do restaurante Alma by Juan Amador, com uma estrela Michelin, em Singapura, disse que nunca ouviu falar em rendang de frango crocante. "É um prato que acompanha gerações. E ter um angmoh (caucasiano) a dizer-nos como o prato deve ser feito é um golpe na cara".

Najib Razak, o primeiro-ministro da Malásia, entrou na discussão na terça-feira, salientando que ninguém come frango crocante, um argumento que também acabou por ser aceite por Mahathir Mohamad, o seu rival.

Na sequência deste acontecimento, foi criada a hashtag #gastrodiplomacia, que acabou por ter muita adesão, juntamente com #rendanggate.

As empresas não ficaram de fora deste assunto. Num post no Instagram, com um balde de frango frito, a KFC disse que "a única coisa que deve ser crocante é o nosso frango frito". O serviço de e-mail regional A Grab ofereceu promoções e pediu aos seus utilizadores para twittarem com a hashtag #RendangIsNeverCrispy.

O que está por esclarecer é onde surgiu este prato originalmente, já que vários países reivindicam a sua autoria. Algumas pessoas sugerem que a primeira versão do rendang foi criada em Padang, na Samatra Ocidental, Indonésia, há cerca de 600 anos. O jurado do Masterchef Torode irritou os malaios, sugerindo no Twitter que o rendang de frango era da Indonésia e terminou a sua mensagem com "namaste", uma forma de saudação indiana.

Haikal, do Alma, tentou explicar que há versões diferentes do prato. "Na região e no arquipélago malaio, o rendang é feito por pessoas diferentes, incluindo singapurianos, malaios, indonésios, e até mesmo na Tailândia há um prato chamado massaman, que na verdade tem um gosto parecido com o frango rendang", afirmou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG