"Boston Globe" apela ao aumento do controlo de armas

O diário dedica a primeira página desta quinta-feira ao tema, com a imagem de uma carabina igual à usada no massacre de Orlando

Com o massacre na discoteca gay de Orlando a relançar o debate sobre o controlo e posse de armas de fogo nos EUA, e que tem marcado a pré-campanha para as presidenciais de novembro, o Boston Globe decidiu juntar-se à causa e apelar à proibição da legalização de venda de armas.

O diário norte-americano dedicou toda a sua primeira página da edição desta quinta-feira a este tema, e de uma forma direta e simples: com uma imagem de uma carabina AR-15, a mesma arma usada pelo autor do tiroteio deste domingo em Orlando e três palavras: Make it stop, com a última a vermelho (façam-no parar, em tradução literal).

Ainda na sua edição digital e impressa, o Boston Globe publica um editorial a explicar a sua posição sobre este tema. "Ganância, cobardia legislativa e tecnologia avançada - foi desta forma que chegamos aqui. Os Estados Unidos têm sido agredidos com violência de armas desde que a proibição da venda e compra de armas de fogo expirou, em 2004. Este ano, massacres já roubaram 61 vidas. Um tipo de arma, carabina semiautomática, é largamente responsável. Mas esta nação não pode ser refém do medo. Podemos acabar com isso", lê-se no editorial.

Ao longo desta quinta-feira, o diário tem estado a partilhar, na sua página de Twitter, todos os nomes das vítimas mortais consequentes da legalização da posse de armas.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.