Terceira edição do Prémio Paula Rego recebe candidaturas até 19 outubro

A terceira edição do Prémio Paula Rego, dirigida apenas a alunos da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL), vai receber candidaturas até 19 de outubro, foi hoje anunciado pela organização.

De acordo com a FBAUL, a terceira edição do Prémio Paula Rego é a última do conjunto de três edições dedicadas exclusivamente aos alunos da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa.

Na primeira edição, em 2016, a obra escolhida pela pintora Paula Rego para integrar a sua coleção pessoal foi "O Presente/the Gift", de Margarida Lestra Salvador.

Nicoleta Sandulescu foi a vencedora da segunda edição do Prémio Paula Rego, com a obra "Comeste? Sim, Mãe".

Podem concorrer a este prémio todos os alunos inscritos nos cursos do 1.° e 2.° ciclos da FBAUL, têm de ter matrícula válida à data da candidatura (ano letivo 2018/19 ou ano letivo 2017/18) e de ter completado o ciclo de estudos.

A submissão da obra original a concurso é feita 'online' até ao dia 19 de outubro de 2018, mediante uma fotografia, e o preenchimento completo da ficha de inscrição.

No ano passado, ao prémio, no valor de mil euros, apresentaram-se 85 candidatos, e as 37 obras escolhidas por Paula Rego numa primeira seleção, foram expostas na Casa das Histórias, até 08 de janeiro deste ano.

Nesta segunda edição, a pintora destacou mais cinco obras de que gostou especialmente: "A aula de natação", de Maria Inês Alves, "Mrs May's dream", de Mariana Tilly, "Gira-sol", de Beatriz Fernandes, "Já estive aí", de Catalina Sandulescu, e "O Caçador", de Sara Tristão.

Este desafio do prémio foi lançado pela artista plástica portuguesa, radicada em Londres, aos jovens alunos de Belas-Artes, para os incentivar a criar um desenho que conte uma história.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.