Porto com 700 trotinetas e bicicletas em cinco anos

Autarquia liderada por Rui Moreira assinou um acordo com a empresa Bolt, após a plataforma ter vencido concurso municipal.

A Câmara Municipal do Porto e a empresa Bolt assinaram um acordo, com uma licença válida para os próximos cinco anos, "para a introdução de soluções de mobilidade suave na cidade Invicta". No âmbito deste acordo, que resultou da vitória da Bolt de um concurso aberto pelo município, a operadora irá investir numa frota de 700 veículos, como trotinetas e bicicletas elétricas, que estarão disponíveis por toda a cidade.

"É muito recompensador podermos dizer que vamos operar na segunda maior cidade do país", declarou Santiago Páramo, responsável de Micromobilidade da Bolt em Portugal, num comunicado da empresa. "As nossas soluções de micromobilidade chegaram a Portugal apenas há dois anos, mas desde sempre que um dos nossos maiores objetivos passa por solidificar a nossa presença a norte do país, com o Porto nos lugares de topo da nossa lista de prioridades."

Com a assinatura do acordo com o Porto, a Bolt, plataforma líder de mobilidade europeia, passa a operar em sete cidades cidades portuguesas, pois já se encontra em Lisboa, Braga, Coimbra, Barcelos, Setúbal e Cascais.

Os veículos de mobilidade suave da Bolt, que irão circular no Porto, como já acontece nas outras cidades, estão equipados com uma série de funcionalidades como "um teste de reação cognitiva capaz de avaliar se o utilizador consumiu bebidas alcoólicas" e "um sistema inteligente de verificação de estacionamento apropriado", explica a plataforma.

No mapa da aplicação, estarão ainda disponíveis todos os locais públicos onde se poderão deixar estes veículos de mobilidade suave, "procurando contribuir para evitar que estes se tornem obstáculos para os peões", sublinha a Bolt.

A Câmara do Porto tem vindo a apostar na mobilidade suave como uma forma de atingir a redução das emissões de carbono. Estes esforços da autarquia liderada por Rui Moreira foram reconhecidos pela Comissão Europeia quando o Porto, a par de Lisboa e Guimarães, foi uma das escolhidas para integrar a "Missão da UE para 100 cidades neutras e inteligentes até 2030".

"A inclusão do Porto neste restrito lote das 100 cidades líderes na ambição de descarbonização a nível europeu é mais um reconhecimento internacional de que estamos a desempenhar bem a nossa missão, rumo a uma cidade cada vez mais sustentável", declarou, na altura, o vice-presidente da Câmara do Porto, Filipe Araújo.

De referir ainda que a autarquia lançou em janeiro o Pacto do Porto para o Clima, iniciativa que tem como mote a neutralidade carbónica da cidade até 2030, e preside atualmente ao Fórum do Ambiente da rede Eurocities.

ana.meireles@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG