Exclusivo Oeiras lança megaprojeto para se tornar Capital Europeia da Cultura

Autarquia tem em marcha um projeto de "grande fôlego" com a recuperação de edifícios históricos e a criação de novos espaços de dinamização cultural. Um investimento de 400 milhões de euros em seis anos que já está em marcha e não vai parar.

Vem aí "um projeto de grande fôlego" que marca "um novo ciclo para Oeiras". Quem o diz é um empolgado Isaltino Morais, presidente da câmara municipal, que está empenhado naquilo que definiu como "a terceira fase" do seu projeto para o concelho. "Tivemos uma primeira fase relacionada com o ordenamento do território e uma segunda fase que visou a atração de empresas do setor terciário e de base tecnológica, que posicionou o concelho como um dos melhores municípios da União Europeia", disse ao DN, antes de falar daquilo que diz ser "o início de um novo ciclo de desenvolvimento", alavancado na candidatura de Oeiras a Capital Europeia da Cultura em 2027, para a qual terá a concorrência de Leiria, Coimbra, Faro, Viana do Castelo, Aveiro, Évora, Braga e Guarda.

A eleição só será feita em 2023, mas em marcha está um projeto que vai mudar a face do concelho e que será concluído independentemente de ser ou não a candidatura vencedora. "Em seis anos vamos investir 400 milhões de euros, sendo que 50 milhões já estão adjudicados às obras dos novos paços dos concelho que vão começar em breve", revelou, garantindo que Oeiras vai dar "um salto qualitativo e quantitativo" em termos culturais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG