Moedas quer convencer outros concelhos de Lisboa a adotarem passes grátis para estudantes e idosos

O presidente da Câmara de Lisboa diz que vai tentar convencer os colegas dos outros 17 municípios da Área Metropolitana. Considera uma medida "crucial para a descarbonização das cidades".

Carlos Moedas, presidente da Câmara de Lisboa, afirmou esta quinta-feira que vai tentar convencer os restantes autarcas da Área Metropolitana a adotarem nos seus concelhos passes gratuitos para munícipes até aos 23 anos e maiores de 65, como proposto na capital.

Carlos Moedas visitou hoje a Carris, em Miraflores (Oeiras), onde teve uma reunião com a Administração da empresa, gerida pelo município, para continuar a acertar esta medida, que foi uma promessa eleitoral incluída já no Orçamento municipal para 2022, apresentado na quarta-feira.

A medida ainda não foi aprovada pela autarquia, já que não tem maioria absoluta no município, mas Carlos Moedas pretende avançar e apresentar a ideia na próxima segunda-feira aos restantes municípios das Área Metropolitana de Lisboa (AML), para convencer os colegas dos outros 17 municípios metropolitanos a adotarem também passes grátis para munícipes com idades até aos 23 anos e com mais de 65.

O autarca sublinhou que não se trata de uma negociação com a AML, mas de "conversações", de "liderar este movimento" que é de Lisboa, mas que gostava de ver replicado noutros concelhos metropolitanos, considerando que os transportes gratuitos são "uma medida crucial para a descarbonização das cidades".

Esta sugestão de Moedas surge numa altura em que está a ser preparada a entrada em funcionamento dos Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML), uma entidade pública da AML que fará a gestão de todos os transportes públicos coletivos intermunicipais, a partir de meados deste ano.

Carlos Moedas precisa do apoio dos outros autarcas porque, além da municipal Carris, pretende também envolver nestes novos passes gratuitos o Metropolitano de Lisboa, que está fora da esfera de gestão da Câmara.

"O Metro, obviamente, não depende de mim, como presidente da Câmara, e, portanto, preciso também do apoio dos meus colegas da área metropolitana e é isso que na segunda-feira vou fazer, falar com todos eles, mas penso que todos temos esta ambição", salientou.

Se tudo correr bem nas negociações com os restantes partidos na autarquia e com a tutela do Metropolitano, a medida dos passes gratuitos para idosos e estudantes entrará em vigor no início do segundo semestre deste ano.

A Câmara Municipal encarregar-se-á de pagar às transportadoras "aquilo que as pessoas deveriam pagar" à Carris e ao Metro, ou seja, uma estimativa de 12 milhões de euros, uma verba que está dentro da capacidade financeira do município, assegurou o autarca.

Entre as promessas eleitorais já contempladas nesta proposta de orçamento municipal está também a de que os residentes em Lisboa possam ter um desconto de 50% no estacionamento gerido pela EMEL.

Carlos Moedas destacou hoje que a autarquia está a trabalhar com a empresa que gere o estacionamento na cidade nesse sentido, salientando que a solução deve ser para todos, mas pode começar a ser aplicada com base em soluções tecnológicas, como a aplicação que já existe.

A Câmara de Lisboa prevê um orçamento de 1,16 mil milhões de euros para este ano, uma despesa "muito alinhada" ao previsto no ano anterior (1,15 mil milhões), anunciou na quarta-feira o vice-presidente da autarquia, Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP).

Filipe Anacoreta Correia considerou existir convergência para a provação do documento, tendo em conta que para a proposta foram auscultadas as forças da oposição e consideradas as preocupações de todos partidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG