Metro Ligeiro de Superfície vai ligar Lisboa a Oeiras e a Loures

Investimento estimado em 490 milhões de euros anunciado num comunicado conjunto dos três munícipios

Um Metro ligeiro de superfície vai ligar Lisboa aos concelhos de Oeiras e Loures, anunciaram esta quarta-feira as três autarquias num comunicado conjunto enviado à nossa redação.

Os municípios informam que "vão votar a aprovação de um protocolo de cooperação" entre eles para desenvolvimento de um "projeto de metro ligeiro de superfície entre a Alcântara e Cruz Quebrada e entre Santa Apolónia e Sacavém", num investimento estimado em 490 milhões de euros.

"Os municípios pretendem assegurar uma ligação rápida e estruturante de transporte público pesado entre as respetivas zonas ribeirinhas e os principais interfaces em Lisboa, por forma a melhorar a conectividade dos seus territórios e implementar novos corredores de transporte coletivo assentes na extensão da linha de elétrico 15, atualmente explorada pela Carris.

Estes corredores permitirão a estruturação do território de Alcântara, Ajuda, Belém, Algés, Linda-a-Velha, e Cruz Quebrada/Dafundo, bem como o corredor Santa Apolónia - Gare do Oriente e Gare do Oriente - Moscavide, Portela, Sacavém, criando ainda um corredor chave em toda a extensão da freguesia do Parque das Nações", pode ler-se.

A nova linha terá uma extensão de 24,4 quilómetros e estará ligada com as linhas ribeirinhas, de elétrico e de comboio da Linha de Cascais e Linha do Norte, bem como a expansão da linha vermelha do Metropolitano de Lisboa em Alcântara.

Segundo o comunicado, "o desenvolvimento desta linha está a ser articulada com o Governo no âmbito de um conjunto mais vasto de investimentos em infraestruturas de transporte na Área Metropolitana de Lisboa, que visam aumentar a coesão do território na área metropolitana de Lisboa e que vão promover a melhoria das condições de acessibilidade e, em particular, a competitividade, a fiabilidade e a confiança no sistema de transportes público".

Os municípios vão procurar implementar ainda "corredores dedicados a modos ativos, pedonal e em bicicleta, paralelos aos corredores de transporte público estruturante que vierem a ser implementados".

O objetivo passa por " continuar a fidelizar e a conquistar a confiança de novos utilizadores" para a rede de transportes públicos da Área Metropolitana de Lisboa, dando sequência ao Programa de Apoio à Redução Tarifária e ao novo sistema tarifário implementado na Área Metropolitana de Lisboa, iniciado a 1 de abril do ano passado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG