Ucrânia submete candidatura formal e "acelerada" à NATO

Presidente ucraniano anunciou decisão momentos depois de Putin ter anexado regiões ucranianas. Zelensky diz que a candidatura será um "procedimento expedito".

A Ucrânia submeteu esta sexta-feira, formalmente, uma candidatura "acelerada" para a adesão à NATO.

A decisão foi anunciada pelo presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, que afirma que o país já mostrou a sua "compatibilidade" com os padrões que definem a Aliança. "

Numa fotografia divulgada pelo seu gabinete, é possível ver Zelensky a segurar no documento enviado à NATO para candidatar formalmente o país à adesão."Estamos a dar um passo decisivo", considerou o presidente ucraniano.

"Estamos a dar um passo decisivo ao assinar a candidatura da Ucrânia a uma adesão acelerada à NATO", afirmou Zelensky num vídeo publicado pela presidência ucraniana nas redes sociais. O presidente ucraniano acresentou ainda que Kiev não negociará com a Rússia enquanto o presidente Vladimir Putin estiver no poder. "A Ucrânia não realizará quaisquer negociações com a Rússia enquanto Putin for o presidente da Federação Russa". Negociaremos com o novo presidente", disse.

Momentos antes do anúncio, o presidente russo Vladimir Putin anunciou a anexação das regiões de Kherson, Lugansk, Donetsk e Zaporíjia dizendo que esta era "a vontade de milhões de pessoas."

Os líderes pró-Kremlin dos territórios anexos afirmaram que as regiões votaram a favor de se tornarem parte da Rússia em referendos que as capitais ocidentais e as organizações internacionais não reconheceram.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG