Tiroteio em universidade russa faz seis mortos

Um estudante efetuou disparos na universidade da cidade russa de Perm, tendo sido depois detido. Inicialmente, as autoridades indicavam oito mortos, mas uma nova atualização refere que foram seis as vítimas mortais deste tiroteio

Um homem efetuou esta segunda-feira vários disparos na universidade de Perm, na Rússia, provocando seis mortos e vários feridos, de acordo com o Comité de Investigação da Rússia, citado pela AFP. Anteriormente, a informação oficial indicava oito vítimas mortais.

"Segundo uma clarificação dos dados, seis pessoas foram mortas como resultado do crime", fez saber o Comité de Investigação em comunicado.

O atirador foi detido pouco depois dos disparos na universidade de Perm, localizada a 1300 quilómetros a leste de Moscovo, segundo o Ministério do Interior da Rússia.

O autor dos disparos, identificado como sendo um estudante daquela instituição de ensino superior, terá sido ferido enquanto era detido.

Nas redes sociais circulam vídeos que mostram o pãnico sentido pelos estudantes, com alguns jovens a saltarem das janelas da universidade.

O Ministério da Saúde da região russa de Perm relatou, de acordo com a agência de notícias Associated Press (AP), pelo menos 14 feridos.

Alunos e funcionários do estabelecimento de ensino trancaram-se nos quartos e locais de trabalho, respetivamente, e a universidade recomendou que aqueles que pudessem deixassem o campus, referiu a AP.

O Comité de Investigação abriu uma investigação de homicídio após o incidente.

O Ministério da Saúde da região de Perm declarou que entre os feridos estão pessoas atingidas no tiroteio, mas também na tentativa de escapar do prédio.

O presidente russo, Vladimir Putin, foi notificado do tiroteio, fez saber o Kremlin, sendo que os ministros da saúde e da ciência vão deslocar-se até Perm para coordenar a assistência às vítimas.

"O presidente expressa sinceras condolências aos que perderam familiares e entes queridos como resultado deste incidente", disse Dmitry Peskov, o porta-voz de Putin, citado pela AFP.

As autoridades regionais afirmam que as aulas em escolas, faculdades e universidades locais foram canceladas esta segunda-feira na sequência do tiroteio em Perm.

O último ataque mortal na Rússia a um estabelecimento de ensino ocorreu em maio de 2021, quando um jovem de 19 anos abriu fogo na sua antiga escola na cidade central de Kazan. Morreram nove pessoas.

As autoridades indicaram que o atirador sofria de um distúrbio mental. Foi, no entanto, considerado apto para receber uma licença para a arma que usou. No dia desse ataque - um dos piores da história recente da Rússia - Putin pediu uma revisão das leis de controlo de armas.

Com Lusa e AFP

Notícia atualizadas às 12:27

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG