Talibãs revelam encontro com França para discutir situação no aeroporto de Cabul

A revelação foi feita pelo diretor adjunto do gabinete político dos talibãs, Sher Abbas Stanikzai, mas não foi confirmada pela diplomacia francesa.

Uma delegação francesa encontrou-se na quinta-feira em Doha com representantes talibãs pela primeira vez desde que o movimento extremista tomou o poder no Afeganistão há perto de duas semanas, anunciou o seu porta-voz Suhail Shaheen.

O enviado francês François Richier e a sua delegação "discutiram pormenorizadamente" a situação no aeroporto de Cabul com uma delegação conduzida pelo diretor adjunto do gabinete político dos talibãs, Sher Abbas Stanikzai, precisou o porta-voz numa mensagem na rede social Twitter.

A agência France-Presse indica ter contactado o Quai d'Orsay que ainda não comentou.

"Todos os afegãos com documentos legais poderão viajar para o exterior e serão disponibilizadas instalações apropriadas (...) após a abertura da zona civil do aeroporto", insistiu Suhail Shaheen, repetindo uma promessa dos talibãs já feita a vários países.

"A paz foi estabelecida em todo o país, raparigas e rapazes regressaram à escola e os 'media' estão a funcionar", declarou.

Os talibãs têm-se esforçado para mostrar uma imagem aberta e moderada, mas muitos afegãos temem que o movimento instaure o mesmo tipo de regime fundamentalista e brutal que geriu quando esteve no poder no Afeganistão entre 1996 e 2001.

Desde que os talibãs tomaram Cabul, milhares de pessoas amontoam-se junto às portas do aeroporto para tentar abandonar o país.

Na quinta-feira, pelo menos 95 delas, além de 13 soldados norte-americanos, morreram num atentado reivindicado pelo grupo Estado Islâmico da Província de Khorasan (ISKP, na sigla em inglês).

A França anunciou terminar as suas operações de evacuação de Cabul hoje à noite, data "imposta" pelos norte-americanos, segundo o primeiro-ministro, Jean Castex.

Entretanto, Paris tenta retirar várias centenas de afegãos, num contexto caótico.

"O ataque terrorista não deve impedir estas operações (...) Continuaremos até ao último segundo possível", declarou Clément Beaune, secretário de Estado para os Assuntos Europeus, à rádio Europe 1, admitindo que a França poderá até continuar a retirar pessoas de Cabul "além desta noite (hoje)".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG