Rússia suspende inspeções a armas nucleares estabelecidas em tratado com EUA

O acordo New START visa limitar o número de ogivas que cada potência possui e as inspeções permitem a verificação de que as partes o estão a cumprir. Moscovo diz que não há condições para cumprir o tratado.

A Rússia anunciou esta segunda-feira (8 de agosto) que suspende as inspeções americanas a instalações militares previstas no tratado New START, um acordo estratégico entre as duas potências para limitar os arsenais nucleares.

Num comunicado, o ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia disse que as instalações sujeitas a inspeções sob o tratado serão "temporariamente" isentas de inspeções.

Entre os locais em questão estão bases de lançamento de mísseis e bases aéreas e navais onde estão implantados mísseis nucleares.

Este anúncio é feito no contexto da ofensiva russa na Ucrânia, que começou a 24 de fevereiro, e num momento em que o presidente russo Vladimir Putin se gaba de novas armas "invencíveis" desenvolvidas pela Rússia.

"A Federação Russa é obrigada a recorrer a esta medida (...) devido a realidades existentes que criam vantagens unilaterais para os Estados Unidos e que privam a Rússia do seu direito de realizar inspeções em território americano", pode ler-se mo comunicado divulgado pela diplomacia russa.

Entre os argumentos apresentados, o ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia cita dificuldades de viagem e obstáculos aos vistos devido às sanções ocidentais impostas a Moscovo.

O tratado assinado em 2010 limita os arsenais das grandes potências a um máximo de 1550 ogivas implantadas para cada lado, o que representa uma redução de 30% em relação ao limite estabelecido anteriormente em 2002.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG