Rússia lança versão própria do Instagram. O nome? Rossgram

Rússia desenvolveu a sua versão da rede social Instagram. Chama-se Rossgram e foi lançada a 28 de março, mas a aplicação ainda não está disponível para todos os cidadãos russos.

A Rússia já tem a sua versão da rede social Instagram. Chama-se Rossgram e foi lançada a 28 de março, mas ainda não está disponível para todos os cidadãos russos. O acesso à aplicação de "produção nacional", lê-se no site, será "aberto por etapas para ajustar a carga do servidor e garantir o funcionamento estável da rede social".

A aplicação de partilha de fotos Rossgram foi desenvolvida pela dupla Alexander Zobov e Kirill Filimonov e é a alternativa russa ao Instagram, que foi bloqueado no mês passado pelas autoridades russas.

A 14 de março, a aplicação da Meta (empresa mãe do Facebook) foi bloqueada pela Rússia, que acusou a rede social de partilhar apelos à violência contra cidadãos russos devido à guerra na Ucrânia, em curso desde 24 de fevereiro.

Para preencher o vazio do Instagram nas redes sociais russas, foi desenvolvida o Rossgram, que, além do nome, tem um esquema de cores semelhante à aplicação da empresa de Mark Zuckerberg.

"O meu parceiro Kirill Filimonov, bem como o nosso grupo de programadores, já estava pronto para estes acontecimentos e decidimos não perder a oportunidade de criar um homólogo russo de uma rede social popular e amada pelos nossos compatriotas", escreveu Alexander Zobov na rede social VKontakte - uma alternativa russa ao Facebook -, declarações citadas pelo pplware, site que refere que o Instagram tinha mais de 80 milhões de seguidores na Rússia.

Entre as funcionalidades da aplicação russa está a possibilidade lançar ações de crowdfunding e ter acesso pago a alguns conteúdos, isto além das funções habituais do Instagram, como a partilha de imagens.

Antes de Moscovo bloquear o Instagram, já o regulador russo Roskomnadzor tinha ameaçado restringir o acesso à rede social, depois da empresa de ​​​​​​Mark Zuckerberg ter anunciado que iria permitir aos utilizadores da rede social em alguns países a publicação de apelos à violência contra o presidente russo, Vladimir Putin, e contra soldados russos.

Além do Instagram, o Facebook e o Twitter também estão na lista de sites com "acesso restrito" publicada pelo regulador russo de telecomunicações.

Além da alternativa ao Instagram, a Rússia também criou versões do YouTube, o Ru Tube, do Tik Tok, o Yappy, e do Facebook, o VKontakte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG