Rússia critica pedido de Kiev para proibir turistas russos no Ocidente

Zelensky defendeu que as "sanções mais importantes são o encerramento das fronteiras, porque os russos estão a tomar conta do território de outros".

A Rússia criticou esta terça-feira o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, por ter pedido aos países ocidentais que fechem as fronteiras a visitantes russos como forma de punir Moscovo pela sua ofensiva contra a Ucrânia.

Numa entrevista ao diário norte-americano Washington Post, esta semana, Zelensky defendeu que as "sanções mais importantes são o encerramento das fronteiras, porque os russos estão a tomar conta do território de outros".

Quaisquer que sejam as suas opiniões políticas, os russos devem "viver no seu próprio mundo até mudarem a sua filosofia", acrescentou Zelensky.

Em reação, o porta-voz do Kremlin (Presidência russa), Dmitri Peskov, acusou Zelensky de fazer apelos irracionais.

"A irracionalidade de tal raciocínio excede todos os limites e só pode provocar uma reação negativa", comentou Peskov, citado pela agência francesa AFP.

O porta-voz russo acrescentou que "qualquer tentativa de isolar os russos ou a Rússia não tem qualquer hipótese de sucesso".

Após o apelo de Zelensky, a primeira-ministra da Estónia, Kaja Kallas, defendeu que se deixe de emitir vistos turísticos a russos que queiram viajar para a Europa.

"Viajar para a Europa é um privilégio, não um direito humano. (...) Está na hora de parar o turismo da Rússia", escreveu Kallas na rede social Twitter.

Em resposta, o antigo Presidente russo Dmitri Medvedev comparou Kallas a um "nazi".

Os países ocidentais têm decretado sucessivos pacotes de sanções económicas contra a Rússia por ter invadido a Ucrânia em 24 de fevereiro.

Vários países também têm fornecido armas à Ucrânia para combater as forças russas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG