Professor matou quadro do Partido Comunista Chinês na Universidade Fudan

A polícia disse que o professor nutria rancor pelo secretário do PCC e que assumiu o crime

Um professor da Universidade Fudan, uma das mais prestigiadas instituições de ensino superior da China, matou à facada o secretário do Partido Comunista Chinês (PCC) da Faculdade de Matemática, informaram esta quarta-feira as autoridades.

A polícia identificou o suspeito sob custódia como um professor de 39 anos, cujo sobrenome é Jiang. O crime foi cometido no campus da universidade em Xangai.

Em comunicado, a Fudan explicou que Wang Yongzhen, de 49 anos, foi morto, na tarde de segunda-feira e que o departamento estabeleceu um grupo de trabalho para cooperar com a investigação policial.

A polícia disse que Jiang nutria rancor por Wang e que assumiu o crime.

A Fudan foi palco de outro assassinato em 2013, quando um estudante envenenou o seu colega de quarto após uma disputa.

Os secretários do PCC são omnipresentes nas universidades chinesas e estão encarregados de manter a pureza ideológica, impedir a disseminação de conceitos ocidentais, como os direitos humanos e a liberdade de expressão, e garantir que alunos e professores permanecem leais ao partido.

A Fudan está classificada como uma das 100 melhores universidades do mundo e tem fortes ligações ao exterior, embora as suas relações com o PCC tenham gerado polémica.

Milhares de pessoas reuniram-se na capital da Hungria, no sábado passado, contra um acordo entre o governo húngaro e a Fudan para abrir uma filial em Budapeste.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG