Primeira-ministra da Finlândia apanhada na discoteca após ter contacto de risco

"Procedi mal. Devia ter avaliado a situação com mais cuidado", admitiu Sanna Marin, que pediu desculpas públicas por não ter ficado em isolamento.

Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia, pediu desculpas públicas esta quarta-feira por ter ido a uma discoteca depois de ter tido um contacto de risco com um infetado com covid-19, no caso o seu ministro dos Negócios Estrangeiros.

"Procedi mal. Devia ter avaliado a situação com mais cuidado", disse numa entrevista concedida à televisão pública finlandesa Yle, na sequência da sua saída noturna no passado sábado, que foi descoberta por uma revista que publicou uma sua numa discoteca cheia de gente.

Marin admitiu que decidiu não interromper a sua saída à noite mesmo depois de ter sido informada que tinha estado exposta ao coronavírus, revelando que estava num restaurante quando recebeu um telefonema de um secretário de Estado a informá-la de que o ministro dos Negócios Estrangeiros estava infetado, com quem tinha estado numa reunião do Conselho de Ministros no dia anterior (sexta-feira).

"Ele disse-me que os ministros não seriam colocados em quarentena porque todos tinham as duas doses da vacina", tinha já explicado Marin na sua conta de Facebook, na segunda-feira.

Este não foi o único caso de desrespeito pelas recomendações para travar a propagação do vírus por parte de membros do governo finlandês, uma vez que Mika Lintila, ministro da Economia, fez questão de assistir ao vivo a um jogo de floorball entre a Finlândia e a Letónia, apesar de também ter sido aconselhado a ficar em isolamento.

O mesmo aconteceu com o ministro da Defesa, Antti Kaikkonen, que no sábado foi a um jantar. Um evento a que faltaram os ministros das Finanças e da Ciência e Cultura, precisamente para evitar riscos de contágio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG