Portuguesa e espanhol detidos nos Países Baixos libertados sem acusação

Decisão de isolamento foi anulada pelo Ministério público neerlandês, depois de o casal ter apresentado testes negativos e se ter queixado de tratamento desadequado

Os Países Baixos decidiram libertar Carolina Pimenta e Andres Sanz, o casal luso-espanhol que tinha sido acusado de fugir de um hotel em quarentena e foi preso depois de embarcar num voo para Espanha no fim de semana

O isolamento forçado de três dias terminou depois de a cidadã portuguesa - que originalmente testara positivo para Covid-19 à chegada de um voo da África do Sul - ter dado negativo após um segundo teste em Amesterdão.

"Venho por este meio informá-los ... que o 'casal em quarentena' foi ou será libertado de seu isolamento", disse o advogado do casal, Bart Maes, num comunicado enviado à AFP, após ter sido determinado o fim do isolamento do casal numa enfermaria de hospital.

Carolina Pimenta e Andres Sanz estavam entre dezenas de pessoas colocadas em quarentena num hotel do aeroporto depois de 61 passageiros em dois voos da KLM provenientes da África do Sul terem testado positivo à covid-19 - 14 deles com a nova variante Omicron.

O casal já dissera, na véspera, à emissora holandesa RTL que ambos haviam testado negativo antes de deixar a África do Sul, mas que a portuguesa, de 28 anos, testou positivo durante uma escala em Amsterdão antes de iniciar o regresso a Espanha.

A polícia de fronteira neerlandedsa deteve o casal na noite de domingo, depois de Carolina e Andres terem deixado o hotel e embarcado num novo voo, alegando que ambos eram suspeitos de atentar contra a saúde pública. O casal foi então colocado em isolamento forçado numa instalação na província de Groningen, no norte.

As autoridades locais pediram ao Ministério Público para estender o isolamento, mas os promotores "decidiram não o fazer", disse Maes, "o que significa que as decisões de isolamento foram anuladas".
O casal "tomará imediatamente um táxi para o consulado, onde será recebido para ser repatriado para Espanha", disse o advogado.

Os promotores neerlandeses confirmaram que o casal estava livre para deixar o isolamento, dizendo que Carolina Pimenta deu negativo na segunda-feira durante um segundo teste de PCR.

Com base nessas informações que "agora tem sobre o incidente, o Ministério Público é de opinião que não há suspeita de crime, portanto não haverá processo", disse a porta-voz Ilse de Heer.

Por Pimenta ter dado negativo "não houve pedido de continuação da quarentena, porque este se tinha baseado no teste original, que dera positivo", acrescentaram os procuradores em comunicado.

O casal já tinha dito na segunda-feira que os testes feitos antes de deixar a África do Sul tinham sido negativos e que dois autotestes feitos nos Países Baixos também deram negativos.

Perante isso, disseram, um oficial da autoridade de saúde holandesa e um segurança do hotel Ramada, perto do aeroporto de Schiphol, informaram-nos de que pdoeriam sair sem problemas.

"A sugestão de que fugimos da quarentena é ridícula. Ninguém nos disse quais são as regras, fomos tratados com cães", disse Pimenta à RTL, apresentando-se como investigadora biomédica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG