Polícia desativa dispositivo deixado na catedral de Toulouse em plena missa

O ministro do Interior, Gérald Darmanin, explicou na sua conta de Twitter que a operação policial conseguiu ser concluída "graças à rápida intervenção dos serviços de eliminação de bombas" e sem vítimas.

As forças de segurança francesas desativaram esta sexta-feira de manhã um dispositivo artesanal sem mecanismo de ativação que um homem colocou em frente ao altar da catedral de Toulouse, a meio da missa, tendo já sido capturado pela polícia.

O ministro do Interior, Gérald Darmanin, explicou na sua conta de Twitter que a operação policial conseguiu ser concluída "graças à rápida intervenção dos serviços de eliminação de bombas" e sem vítimas.

O suspeito foi detido ao início da tarde, informou o procurador de Toulouse, acrescentando que o homem era conhecido das autoridades, por conduzir embriagado e por desacatos.

Para já, as autoridades afastam a hipótese de ataque terrorista.

Simon d'Artigue, sacerdote da catedral de Saint Étienne, em Toulouse, no sul de França, explicou que durante a missa matinal um homem entrou por uma das portas da basílica e deixou uma mala junto às escadas que conduzem ao altar.

Embora o sacristão que cuidava das velas tenha tentado impedi-lo, não conseguiu e o homem acabou por sair pela mesma porta por onde tinha entrado.

Os líderes religiosos decidiram proceder à retirada das cerca de 40 pessoas que se encontravam no interior e notificaram as forças de segurança, que estabeleceram um perímetro de segurança.

Dentro da embalagem suspeita havia um dispositivo com ácido, mas não estava equipado com mecanismo de ativação, segundo o jornal La Dépêche du Midi.

O episódio acontece nas vésperas da primeira volta das eleições presidenciais em França, que decorre no próximo domingo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG