Piadas sobre Erdogan estar com covid levam à detenção de cinco pessoas

A unidade de cibercrime investigou 36 contas nas redes sociais por este tipo de mensagens e ordenou a prisão de oito pessoas, mas até agora só conseguiu encontrar cinco.

A polícia turca deteve este domingo cinco pessoas por terem espalhado mensagens de suposto ódio contra o presidente Recep Tayyip Erdogan, ao fazerem piadas do seu contágio com covid-19 nas redes sociais.

A unidade de cibercrime investigou 36 contas nas redes sociais por este tipo de mensagens e ordenou a prisão de oito pessoas, mas até agora só conseguiu encontrar cinco, noticiou o jornal turco Hurriyet.

O nome mais conhecido da lista é o de Derya Buyukuncu, nadador olímpico retirado desde 2012 e também conhecido por participar em programas de celebridades, que respondeu no sábado com um 'tweet' sarcástico à mensagem do presidente, que pediu "orações" aos seus seguidores para melhorar.

"Ele foi infetado com coronavírus e quer orações. Vamos orar, não se preocupe. Já comecei a fazer 20 frascos de doces, que distribuirei pelo bairro quando chegar a hora", escreveu Buyukuncu na sua conta do Twitter, referindo-se à tradição de distribuir doces tradicionais aos moradores e vizinhos após um funeral.

O 'tweet' foi posteriormente apagado, mas 'helva', o nome do doce turco, virou tendência no Twitter, tanto para expressar ironicamente o desejo de ver o presidente morto, quanto para criticar essa atitude.

A polícia não prendeu Buyukuncu, pois foi confirmado que está fora da Turquia, segundo aquele jornal.

Ao meio-dia deste domingo, Erdogan anunciou em uma nova mensagem que um check-up de rotina mostrou que não havia complicações e que a doença era leve, pelo que continua a trabalhar em casa com mulher, Emine Erdogan, que também está infetada.

Durante a manhã, o presidente agradeceu no Twitter as mensagens de recuperação de vários chefes de Estado ou de governo, incluindo da Guatemala, de El Salvador, da Grécia, da Sérvia e da Somália.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG