Perito britânico adverte para nova vaga de infeções da variante indiana

Os casos positivos estão a crescer "exponencialmente" e "pelo menos três quartos deles" são da variante indiana, disse um dos conselheiros do Governo britânico. Recomendou, por isso, "adiar" o levantamento total do confinamento.

Um dos conselheiros do Governo britânico, o microbiologista Ravi Gupta, alertou esta segunda-feira que o Reino Unido está perto de enfrentar uma nova vaga de infeções da variante indiana do vírus e recomendou "adiar" o levantamento total do confinamento.

Gupta advertiu que, embora o número total de novas infeções seja relativamente baixo devido, em parte, ao programa de vacinação, os casos positivos estão a crescer "exponencialmente" e "pelo menos três quartos deles são da nova variante".

Face à perspetiva de uma nova vaga de infeções, o microbiologista aconselhou adiar "algumas semanas" o levantamento de todas as medidas restritivas que o Governo britânico tinha planeado passar até 21 de junho.

"Se olharmos para os custos e benefícios do que aconteceria se nos enganássemos, penso que é claramente a favor de optarmos por um atraso", defende Gupta.

Adam Finn, do Comité Conjunto de Vacinação e Imunização, lamentou que as pessoas estivessem fixadas no levantamento das restrições, no dia 21 de junho, quando o vírus "precisa de se adaptar" a uma situação "dinâmica".

Governo britânico decide se vai ou não adiar o levantamento das restrições a 21 de junho

"No passado, tomámos decisões quando era demasiado tarde, adiámo-las, e acabámos com grandes vagas de contágio", recordou Finn.

O secretário de Estado do Ambiente, George Eustice, reiterou que o Governo decidirá, no dia 14 de junho, se vai levantar ou não as restrições e acrescentou que "nada está excluído".

Eustice planeia também, no dia 7 de junho, rever a lista "verde" de países que considera como destinos de viagem seguros.

De acordo com dados de domingo, o Reino Unido registou, em 24 horas, 3240 novas infeções, mais 26,8% do que na semana passada, com 6 mortes, um aumento de 42,9%.

Desde o início da pandemia, em março do ano passado, o país contabilizou 4,48 milhões de casos positivos e 127 781 mortes, enquanto 25,3 milhões de cidadãos já receberam duas doses da vacina.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3 543 125 mortos no mundo, resultantes de mais de 170,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG