OVNI's. Poucas respostas em rara sessão no Congresso dos EUA

A audiência pública do Congresso norte-americano concluiu que há um número de incidentes para os quais não é possível encontrar explicação com os dados disponíveis.

A primeira audiência pública do Congresso em 50 anos sobre avistamentos de OVNIs nos Estados Unidos terminou com poucas respostas sobre o fenómeno "inexplicável", avança a BBC.

Dois oficiais militares encarregados de investigar os avistamentos afirmaram que a maioria dos objetos voadores detetados pode ser identificada. No entanto, admitiram que vários eventos ocorridos nos céus desafiaram todas as tentativas de explicação.

Segundo os testemunhos do oficiais, alguns Fenómenos Aéreos Inexplicáveis ​​(UAPs) - como os militares denominam OVNIs - detetados parecem estar a mover-se sem qualquer meio discernível de propulsão.

Durante a audiência no Subcomité de Contraterrorismo, Contrainteligência e Contraproliferação de Inteligência da Câmara, o principal funcionário de inteligência do Pentágono, Ronald Moultrie, disse que, por meio de uma análise "rigorosa", a maioria - mas não todos - UAPs podem ser identificados.

"Qualquer objeto que encontrarmos provavelmente pode ser isolado, caracterizado, identificado e, se necessário, mitigado", afirmou Moultrie.

Um pequeno número de incidentes, contudo, ainda não tem explicação. Num desses incidentes, em 2004, pilotos de caça a operar desde um porta-aviões no Pacífico encontraram um objeto que parecia ter descido milhares de metros antes de parar e pairar sobre eles.

Noutro incidente, mostrado publicamente pela primeira vez nesta terça-feira, um objeto pode ser visto na câmara a passar por um caça da Marinha dos EUA. O objeto permanece inexplicável até hoje.

"Há uma pequena amostra [de eventos] em que há características de voo que não podemos explicar com os dados que temos disponíveis", disse Scott Bray, vice-diretor de inteligência naval. "Esses são obviamente os que mais nos intirgam e interessam."

Bray também procurou dissipar a noção de que os UAPs podem ser alienígenas extraterrestres, observando que nenhum material orgânico ou inorgânico ou destroços inexplicáveis foram recuperados, e nenhuma tentativa foi feita de comunicação por parte desses objetos.

"Não detetámos nada que sugerisse uma origem não terrestre", confirmou.

Os legisladores na sessão expressaram preocupação de que qualquer fenómeno aéreo inexplicável possa ser uma ameaça à segurança nacional.

Rick Crawford, republicano do Arkansas, disse que uma falha em identificar ameaças potenciais é "equivalente a uma falha de inteligência que certamente queremos evitar". "Não se trata de encontrar naves alienígenas", acrescentou.

Nos casos de objetos com propulsão inexplicável, Bray disse que os EUA "não estão cientes" de quaisquer potenciais adversários na posse de tais tecnologias.

Após a audiência pública, o comité fechou as portas para uma sessão confidencial com os parlamentares.

As últimas sessões públicas sobre o assunto começaram em 1966, quando o congressista republicano - e futuro presidente - Gerald Ford convocou duas audiências para discutir um avistamento de OVNI's que foi observado por mais de 40 pessoas, incluindo uma dúzia de policiais, em Michigan, avança a BBC.

Os oficiais da Força Aérea atribuíram o incidente a inalação de "gás do pântano", levando Ford a ridicularizar a descrição como "desrespeitosa" .

Em 1969, uma investigação da Força Aérea sobre OVNIs, chamada Projeto Blue Book, foi encerrada após determinar que nenhum objeto voador havia sido confirmado ou considerado uma ameaça à segurança nacional dos EUA.

Quase 50 anos depois, em 2017, os media dos Estados Unidos informaram sobre os esforços secretos do Pentágono para investigar o testemunho de pilotos e outros membros militares dos EUA que relataram ter visto objetos estranhos no céu.

Os relatórios incluíam imagens dos OVNI's e descrições de como eles pareciam voar de maneiras inesperadas, incluindo pairar sobre o mesmo sítio durante ventos fortes e mudar de altitude rapidamente.

Os pilotos afirmaram vê-los quase "diariamente" fora das bases militares, e um denunciante descreveu como os UAPs interferiram nas instalações de armas nucleares dos EUA, até forçando alguns a ficarem offline.

Em junho de 2021, o Diretor de Inteligência Nacional dos EUA divulgou um relatório dizendo que não havia explicação para dezenas de objetos voadores não identificados relacionados a 144 incidentes que remontam a 2004. Apenas um poderia ser facilmente explicado como um balão desinflando, enquanto os outros foram rotulados como "em grande parte inconclusivo".

"A maioria dos UAP relatados provavelmente representa objetos físicos", afirmou o relatório, acrescentando que 80 deles foram detetados em vários dos sensores militares avançados e sistemas de radar.

Em dezembro do ano passado, os democratas conseguiram incluir uma exigência de divulgação mais forte na Lei de Autorização de Defesa Nacional anual assinada por Joe Biden, que exige que os militares estabeleçam um escritório permanente de pesquisa de OVNI's - agora chamado de Grupo de Identificação de Objetos Aerotransportados e Sincronização de Gerenciamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG