Mulheres, crianças e idosos retirados de siderurgia em Mariupol

As autoridades ucranianas noticiaram este sábado intensos combates na região do Donbass, enquanto se mantém o cerco da siderurgia Azovstal, onde as tropas ucranianas de Mariupol estão a resistir.

Mulheres, crianças e idosos foram retirados do complexo siderúrgico de Azovstal, em Mariupol, cercado pelas forças russas, disse este sábado a vice-primeira-ministra da Ucrânia.

"A ordem do Presidente foi cumprida: todas as mulheres, crianças e idosos foram retirados de Azovstal", anunciou Iryna Veheshchuk, citada pela agência Associated Press (AP).

Por sua vez, a agência de notícias russa Tass já tinha indicado que outras 50 pessoas tinham sido retiradas da fábrica.

Na sexta-feira, o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou que a cidade de Mariupol está "completamente destruída" e que à Rússia apenas resta apoderar-se do seu complexo siderúrgico, Azovstal.

Zelensky foi questionado no decurso de uma intervenção por videoconferência organizada pelo círculo de reflexão Chatham House em Londres, sobre o que significaria a queda deste estratégico porto no sul da região do Donbass, onde apenas subsiste uma bolsa de resistência no complexo siderúrgico de Azovstal.

"É necessário entender que Mariupol nunca cairá [...], já está devastada, não existe qualquer estrutura, está tudo completamente destruído", respondeu. O que ainda permanece, prosseguiu, "é essa pequena estrutura, a siderurgia Azovstal, ou o que dela resta".

A tomada deste complexo permitirá a Moscovo reivindicar o controlo total de Mariupol, com 500 mil habitantes antes da guerra, mas que foi devastada por dois meses de cerco e bombardeamentos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG