"Muito triste" com o divórcio, Bill Gates admite que amizade com Epstein foi um "grande erro"

Milionário fundador da Microsoft deu entrevista à CNN em que falou do polémico relacionamento com o homem acusado de tráfico sexual de crianças e da tristeza pessoal causada pelo divórcio com Melinda

Em entrevista à cadeia norte-americana de televisão CNN, o multimilionário Bill Gates admitiu ter sido um "grande erro" socializar com o financeiro Jeffrey Epstein, encontrado morto na prisão antes de seu julgamento por acusações de tráfico sexual de crianças.

O cofundador e ex-chefe da Microsoft discutiu esse polémico relacionamento numa entrevista que ocorreu apenas dois dias após o divórcio com a sua ex-mulher, Melinda, ter sido finalizado.

Bill admitiu que Melinda Gates ficou preocupada com o facto de Gates ter socializado com Epstein há uma década. "Foi um grande erro passar tempo com ele, dar-lhe a credibilidade de estar lá", disse o milionário durante uma entrevista com o jornalista Anderson Cooper.

Gates garantiu que a única razão por que se encontrou com Epstein foi para angariar dinheiro para os projetos de filantropia da Fundação Bill e Melinda Gates. "Tive vários jantares com ele com a esperança de que pudesse materializar o que disse sobre arrecadar donativos para a saúde global, por intermédio das ligações que ele tinha", justificou o antigo CEO da Microsoft. "Quando pareceu não se tratar de uma coisa séria, o relacionamento acabou", garantiu.

Epstein, que era administrador de um fundo de investimento, foi encontrado enforcado em 2019, aos 66 anos, enquanto aguardava julgamento numa prisão de Nova Iorque. Ele foi amigo de inúmeras celebridades ao longo dos anos, incluindo o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton e o príncipe André do Reino Unido.

Em maio passado, o New York Times e o Wall Street Journal mencionaram os jantares entre Gates e Epstein, que teriam sido objeto de inquérito por parte do conselho de diretores da Microsoft e despertado o descontentamento da agora ex-esposa de Gates, Melinda.

Divórcio é "um marco muito triste"

Gates e Melinda, que co-fundaram a sua instituição há duas décadas para combater a pobreza e as doenças em todo o mundo, anunciaram o divórcio no último dia 3 de maio, após 27 anos de casamento. A finalização desse divórcio é um "marco muito triste", disse Gates durante a entrevista. "Melinda é uma ótima pessoa, e ver esta parceria que tivemos a chegar ao fim é uma fonte de grande tristeza pessoal", disse ele, acrescentando que esperam continuar a trabalhar juntos nas causas filantrópicas de ambos.

Gates, que fundou a Microsoft em 1975, renunciou ao cargo de presidente-executivo da empresa em 2000, dizendo que queria concentrar-se na sua fundação. Em 2008 deixou o seu cargo a tempo integral na Microsoft.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG