Morte e devastação entre os escombros do quartel de Mikolaiv

O ataque russo ao quartel militar de Mikolaiv deixou dezenas de mortos. Mas ainda não há um balanço do total. O cenário é de devastação.

Do rosto coberto de poeira, apenas se destacam os olhos azuis do soldado resgatado com vida dos escombros, trinta horas depois que um ataque a um quartel militar deixou dezenas de mortos em Mikolaiv.

Foi um jornalista presente no local que ouviu o som deste soldado sob os destroços nesta manhã de sábado e alertou os socorristas. Depois de cavar com as mãos durante uma hora, eles conseguiram tirá-lo.

De acordo com depoimentos recolhidos pela AFP das equipas de resgate e soldados no local, seis rockets atingiram o quartel - originalmente uma escola para jovens oficiais - por volta das seis da manhã de sexta-feira.

"Uma grande explosão", explica Nikolai, morador do bairro, no qual vários prédios foram danificados. "Nada menos de 200 soldados dormiam no quartel", disse Maxim, um soldado de 22 anos. "Pelo menos 50 corpos foram removidos, mas não sabemos quantos permanecem sob os escombros", continua o jovem.

Yevgeny, outro militar, estima que os ataques podem ter morto uma centena de pessoas, mas é impossível no momento ter um balanço oficial ou mais elementos sobre o ataque. A informação permanece bloqueada, quando o discurso oficial quer que Mikolaiv, "escudo" de Odessa, porto estratégico a 130 km, resista aos ataques das tropas russas.

As autoridades dizem há vários dias que as forças inimigas foram empurradas para Kherson, cidade controlada pela Rússia. Enquanto isso, os ataques mortais, que afetam civis e militares há duas semanas, não param.

Corpos despedaçados

"Não estamos autorizados a dizer nada, porque as operações de resgate não terminaram e nem todas as famílias foram notificadas", explica Olga Malarchuk, porta-voz militar. "Ainda não estamos em condições de anunciar um balanço e não posso dizer quantos soldados estavam presentes", acrescenta.

A Presidência ucraniana não respondeu a perguntas sobre este atentado. Num vídeo postado no Facebook, o governador regional de Mikolaiv, Vitali Kim, disse: "Ataques cobardes com mísseis foram lançados enquanto soldados dormiam", acrescentando que aguardava mais informações das forças armadas.

No local, equipas de resgate e bombeiros trabalham incansavelmente desde sexta-feira, acompanhados pelo som da escavadora limpando a enorme pilha de pedras e barras de metal retorcidas.

Os socorristas colocam um braço ensanguentado e um pedaço de torso humano numa lona. Mais tarde, três corpos, um deles coberto com um lençol branco, são retirados dos escombros. A poucos metros do quartel destruído, outro edifício menos danificado ainda abriga um dormitório e alguns escritórios.

Todas as janelas estão partidas e as botas militares estão espalhadas pelo chão. Uma pequena pintura de um ícone religioso, além de fotos de soldados, estão penduradas na parede.

Uma placa de pedra cinza, representando um marinheiro apoiado numa espingarda e navios ao fundo, permanece de pé no meio do cenário de desolação. Provavelmente seria colocado na entrada do quartel explodido. A peça exibe a frase: "Lute! Você vencerá".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG