Máscaras deixam de ser obrigatórias em Inglaterra apesar do aumento de casos

Boris Johnson anunciou fim de grande parte das medidas restritivas em vigor no país a partir de 19 de julho

O número de novos casos diários está a aumentar em Inglaterra, mas o primeiro-ministro britânico anunciou o fim da maioria das medidas restritivas ainda em vigor no país, entre as quais a obrigação da utilização de máscaras.

Numa fase posterior de desconfinamento, serão descartadas as regras de distanciamento social, a regra de um máximo de seis pessoas em cada casa e o teletrabalho.

Boris Johnson disse esperar que a etapa final do desconfinamento ocorra, conforme planeado, a partir de 19 de julho, o que será confirmado uma semana antes, após uma análise dos dados mais recentes.

Mais atualizações sobre bolhas escolares, viagens e quarentenas serão dadas nos próximos dias, anunciou o governante.

O fim destas medidas é apenas válido para Inglaterra, uma vez que os outros países do Reino Unido (Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte) são responsáveis pelas suas próprias regras relativamente à covid-19.

O governo escocês disse esperar continuar a exigir máscaras em determinados ambientes mesmo após 9 de agosto. Já Irlanda do Norte e País de Gales poderão ver as suas regras sofrerem alterações a 15 e 8 de julho, respetivamente.

Em conferência de imprensa em Downing Street, Boris Johnson disse que a capacidade de acabar com a maioria das restrições em Inglaterra se deve ao sucesso da vacinação, apesar de ter alertado que o número de casos diários pode chegar aos 50 mil no final deste mês.

O primeiro-ministro britânico anunciou ainda o fim dos limites de participação em casamentos e funerais, o fim das regras de serviço de mesa em bares e restaurantes, o levantamento dos limites de visitantes em lares de idosos e a permissão de eventos de grande escala sem apresentação de certificados. Isto significa que os clubes noturnos vão reabrir pela primeira vez desde o início da pandemia.

Mais 27 334 casos foram reportados em todo o Reino Unido esta segunda-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG