Kremlin nega planos de cortar gás à Finlândia

O porta-voz do Kremlin afirmou que "a Gazprom é um fornecedor de confiança para a Europa e também para os países da NATO".

A presidência russa (Kremlin) afirmou esta sexta-feira que não planeia cortar o gás à Finlândia, depois de a possibilidade ter sido avançada por um jornal finlandês.

"Possivelmente é um novo embuste jornalístico. Não existem tais planos", garantiu o porta-voz presidencial russo, Dmitri Peskov, no briefing diário à imprensa.

Segundo o jornal Iltalehti, vários políticos finlandeses foram alertados que a Rússia podia cortar o fornecimento de gás ao país nórdico já na sexta-feira.

Moscovo avisou Helsínquia que se reservava ao direito de tomar medidas, de caráter militar e técnico, depois da decisão dos líderes finlandeses de apoiarem uma adesão do país nórdico à NATO, o que, aos olhos da Rússia, põe em perigo a estabilidade e a segurança no norte da Europa.

O porta-voz do Kremlin assegurou hoje que isto não significaria que Moscovo pretenda interromper o fornecimento de gás a Helsínquia.

"A Gazprom é um fornecedor de confiança para a Europa e também para os países da NATO", acrescentou o representante.

Adiantou ainda que não foi confirmado se o país nórdico vai pagar os hidrocarbonetos russos em rublos, como Moscovo passou a exigir após a imposição de sanções ocidentais devido à ofensiva militar na Ucrânia, iniciada em 24 de fevereiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG