Japão prepara restrições após aumento de casos para máximo de dois meses

A poucos meses de receber os Jogos Olímpicos, Tóquio vai reforçar as medidas restritivas para travar o aumento do número de infeções.

O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, afirmou na quinta-feira que devido ao aumento do número de casos de covid-19 e hospitalizações, será necessário reforçar as medidas de prevenção em Tóquio, a meses de a cidade receber os Jogos Olímpicos.

A capital japonesa registou quinta-feira 555 casos de covid-19, depois de na quarta-feira ter atingido 545 casos, um máximo de dois meses, com o total nacional acima de 3000 casos pelo segundo dia consecutivo.

Responsáveis do Governo disseram à agência Kyodo que as novas medidas deverão ser implementadas a partir de segunda-feira, mantendo-se por um mês, até 11 de maio, em Tóquio e cidades vizinhas, menos de 3 semanas depois de ter sido levantado o estado de emergência na região.

As mesmas fontes adiantaram que os distritos de Kyoto e Okinawa serão também colocados em situação de pré-emergência, até pelo menos 05 de maio.

Restaurantes e bares podem fechar às 20:00

Após uma reunião com o ministro da Saúde, Norihisa Tamura, e outros membros do Governo, o primeiro-ministro afirmou que irá anunciar uma decisão formal sobre as novas medidas na sexta-feira, depois de ouvir um painel de peritos.

As medidas poderão incluir a antecipação da hora de fecho de restaurantes e bares, das 21:00 para as 20:00, em zonas densamente povoadas.

Está agendada para 23 de julho a abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que deveriam ter tido lugar em 2020, mas foram adiados devido à pandemia.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2 890 054 mortos no mundo, resultantes de mais de 133 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG