Especialistas de todo o mundo estão a rever composição das vacinas

As mutações do vírus "ocorrem em pessoas não vacinadas", tornando necessário "garantir o acesso às vacinas nos países sobrepovoados" para travar a doença.

Especialistas de todo o mundo estão a rever a atual composição das vacinas anticovid, apesar de ainda ser cedo para determinar se será necessário desenvolver uma nova contra a variante Ómicron, disse esta terça-feira um perito da OMS.

"Temos a experiência da vacina contra a gripe e constituímos um grupo de trabalho, em coordenação com o setor farmacêutico para determinar se é necessária uma vacina específica contra a nova variante, mas é demasiado cedo", defendeu em conferência de imprensa o epidemiologista Abdi Mahamud, da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O perito adiantou que a elevada transmissibilidade da Ómicron levará a que se converta na variante dominante em muitas partes do mundo, o que é um perigo para os países que ainda mantêm grandes grupos de população sem vacinação.

Antes de pensar em vacinas de reforço (alguns países consideram já uma quarta dose), é necessário "garantir o acesso às vacinas nos países sobrepovoados, com níveis de rendimento médio-baixos", afirmou.

As mutações do vírus "ocorrem em pessoas não vacinadas", pelo que atacar esta problemática "é uma necessidade imperiosa para travar a doença", sustentou Mahamud.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG