Espanha volta a obrigar uso de máscaras ao ar livre

Esta foi a primeira de uma série de propostas que poderão ser aprovadas no conselho de ministros extraordinário desta quinta-feira, se receberem o acordo dos presidentes das comunidades autónomas espanholas

Espanha voltou a impor a obrigatoriedade do uso de máscara ao ar livre. A medida visa conter o avanço da pandemia covid-19, que atingiu o recorde de cerca de 50 mil novos casos nas últimas 24 horas.

"Fica estabelecida a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre", anunciou o Governo de Pedro Sánchez em comunicado, sem especificar quando é que a medida entrará em vigor.

O texto foi divulgado no momento em que se realizava uma reunião entre o primeiro-ministro e os líderes das comunidades autónomas do país, para discutir medidas contra a disseminação da variante Ómicron.

Esta foi a primeira de uma série de propostas que poderão ser aprovadas num conselho de ministros extraordinário que terá lugar esta quinta-feira, se receberem o acordo dos presidentes das 17 comunidades autónomas espanholas e das duas cidades autónomas do norte de África, Ceuta e Melilla.

As questões de saúde são da competência de cada uma das regiões e as medidas a nível nacional têm de receber o acordo delas.

O pedido de tornar as máscaras novamente obrigatórias nos espaços públicos exteriores já tinha sido apresentado por várias regiões, e Sánchez anunciou-a juntamente com uma série de outras medidas.

Entre essas outras medidas está o reforço das equipas de vacinação pelas Forças Armadas, assim como colocar à disposição dos hospitais a Rede Sanitária Militar e a intensificação e aceleração do atual processo de vacinação.

De acordo com a imprensa espanhola, Pedro Sánchez anunciou o recrutamento de pessoal de saúde reformado e pré-reformado e a autorização para o recrutamento de profissionais com qualificações especializadas obtidas em Estados não-membros da União Europeia (UE).

No encontro pretende-se chegar a um compromisso sobre as medidas para travar a sexta vaga da pandemia de covid-19 em Espanha a dois dias da véspera de Natal, o que tem sido criticado por vários partidos devido à sua proximidade às festividades e à incerteza causada pela explosão de novos contágios.

As regiões autónomas têm indicado ter opiniões diferentes sobre como enfrentar esta nova vaga, tendo avançado com medidas que vão desde o recolher obrigatório proposto pela região da Catalunha até à alteração dos critérios de quarentena solicitada pela de Madrid.

Espanha, que é uma das líderes mundiais em matéria de vacinação, registou esta terça-feira um recorde de 49 823 novos casos de covid-19, sendo que a variante Ómicron já representa quase metade dos novos casos, de acordo com o Ministério da Saúde.

Segundo a última atualização do Ministério da Saúde espanhol, o número total de casos notificados em Espanha desde o início da pandemia é agora de 5.585.054 e já morreram 88.887 pessoas devido à doença.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG