"Não é incomum", diz a EMA. Sincopes e desmaios "podem representar efeitos secundários" da Janssen

Peritos mantêm que "todas as vacinas autorizadas na UE são seguras", mas admitem efeitos secundários na Janssen.

A Agência Europeia do Medicamento afirma que casos como os que foram reportados em Mafra "não são incomuns em Jovens", e admite vir a incluir "desmaios e sincope" na lista de efeitos secundários da vacina da Janssen (Johnson & Johnson).

Questionado pelo DN, o chefe da equipa de farmacovigilância, Georgy Genov diz que as ocorrências em Portugal ainda não são do conhecimento da EMA, mas como todas as novas situações em matéria de segurança das vacinas serão analisadas.

Os peritos garantem que a vacina das Janssen está entre o conjunto de "fármacos seguros autorizados na União Europeia". Mas, Georgy Genov admite que há relatos de "possíveis efeitos secundários".

"Não é incomum, em jovens descreverem os efeitos colaterais de síncope ou desmaios, então pode muito bem representar um efeito secundário bem descrito", afirmou, acrescentando que "é, certamente, algo a verificar".

O especialista da Agência Europeia do Medicamento afirma que os casos reportados em Portugal serão "obviamente" analisados, como para todas as vacinas".

"Monitorizamos todas as novas informações sobre segurança das vacinas. Não tenho dados sobre esse cluster de acontecimentos em Portugal, mas iremos, claro, analisar os detalhes", disse.

O chefe da task force da estratégia para as Vacinas, na Agência Europeia do Medicamento, Marco Cavaleri vincou que nem todos os episódios de saúde em vacinados podem ser associados às vacinas, pois "o facto de alguém ter um problema médico ou infelizmente morrer após a vacinação, não significa necessariamente que isso foi causado pela vacina".

"Pode ter sido causado, por exemplo, pelo agravamento ou pelo aparecimento de problemas, em nada relacionados com a vacinação", defendeu, deixando um esclarecimento sobre o nível de segurança das vacinas.

"As quatro vacinas autorizadas na União Europeia proporcionam uma elevada proteção contra todas as cepas que atualmente circulam na UE, especialmente contra doenças graves e hospitalização", disse.

A Agência Europeia do Medicamento incluiu ainda as miocardites e endocardites na lista de efeitos secundários da Pfizer, em crianças, embora com uma evolução "favorável aos tratamentos", como em "qualquer outro" episódio idêntico, não causado pela vacina.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG