Zelensky diz que eliminar últimas tropas em Mariupol põe fim a negociações de paz

Segundo o presidente ucraniano, já morreram entre 2.500 e 3.000 soldados ucranianos e cerca de 10.000 feridos.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, alertou este sábado que "a eliminação" dos últimos soldados ucranianos em Mariupol, cercados por forças militares russas, "porá fim a quaisquer negociações de paz" com Moscovo, segundo a AFP.

"A eliminação dos nossos militares, dos nossos homens [em Mariupol] porá fim a qualquer negociação [de paz]", declarou Zelensky, em entrevista ao 'site' de informação Ukraïnska Pravda, alertando que as duas partes se encontram "num impasse".

Já este sábado, em entrevista à CNN, o Presidente ucraniano tinha adiantado que já morreram entre 2.500 e 3.000 soldados ucranianos e cerca de 10.000 feridos.

As forças russas destruíram este sábado uma fábrica de armamento que produz tanques nos subúrbios de Kiev e oficinas de reparação de equipamento militar em Mykolaiv (sul), anunciou o Ministério da Defesa russo.

Os ataques ocorreram um dia depois de a Rússia ter avisado que iria intensificar os ataques contra Kiev, na sequência de incursões ucranianas no seu território.

As negociações entre as partes estão em "ponto morto" há vários dias e um conselheiro de Zelensky descreveu-as como "extremamente difíceis".

Por seu lado, o Presidente russo, Vladimir Putin, acusou os negociadores ucranianos de "falta de coerência".

Este sábado, as forças russas destruíram uma fábrica de armamento que produz tanques nos subúrbios de Kiev e oficinas de reparação de equipamento militar em Mykolaiv (sul), anunciou o Ministério da Defesa russo. Os ataques ocorreram um dia depois de a Rússia ter avisado que iria intensificar os ataques contra Kiev, na sequência de incursões ucranianas no seu território.

Zelensky diz que já terão morrido entre 2500 e 3 mil soldados

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou que desde o início da guerra houve entre 2.500 e 3.000 soldados mortos nas fileiras e cerca de 10.000 feridos.

Dos feridos, disse Zelensky em entrevista à CNN, é difícil dizer quantos vão sobreviver. O número de soldados mortos entre os invasores estimado pelos ucranianos é de 20 mil, mas o lado russo reconheceu apenas 1.350 soldados mortos em combate.

Por outro lado, o Presidente ucraniano disse, na sua habitual mensagem em vídeo, que o seu país enfrenta o enorme desafio de reconstruir os locais que foram recuperados e destruídos pelos invasores russos. As mortes de civis durante a guerra, segundo Zelensky, são mais difíceis de estimar devido à situação em algumas áreas do país onde há cidades bloqueadas pelos invasores.

"É difícil estimar as mortes de civis, especialmente onde há cidades sitiadas como Kherson ou Mariupol. Não sabemos exatamente quantas pessoas morreram nas áreas bloqueadas", disse o Presidente ucraniano, citado pela agência noticiosa EFE.

As autoridades municipais de Mariupol estimaram que até 20 mil civis podem ter sido mortos na cidade. Na entrevista à CNN, Zelensky expressou o seu receio de que o Presidente russo, Vladimir Putin, recorra ao uso de armas nucleares ou químicas porque, segundo o líder ucraniano, "para ele [Putin], a vida das pessoas na Ucrânia não tem valor".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG