Egito pede 756 milhões de euros de indemnização para libertar navio que bloqueou Canal do Suez

Em causa o prejuízo provocado pelo navio Ever Given, que ficou encalhado durante quase uma semana no canal e paralisou o trânsito nessa importante via marítima

O Egito reclama 900 milhões de dólares (cerca de 756 milhões de euros) de indemnização após o bloqueio do Canal de Suez no fim de março e apreendeu o navio cargueiro que provocou o incidente, informou o jornal Al-Ahram, vinculado ao governo.

Na segunda-feira à noite, a Autoridade do Canal de Suez (SCA) indicou ao canal público de televisão que foram iniciadas as negociações para obter uma indemnização pelo prejuízo provocado pelo navio Ever Given, que ficou encalhado durante quase uma semana no canal e paralisou o trânsito nessa importante via marítima.

O Egito não cometeu nenhum erro no incidente, afirmou a SCA, que responsabiliza o navio pelo ocorrido. "As negociações continuam, ainda há muitos pontos (de divergência) com a empresa e a seguradora, começando pelo valor", afirmou o almirante Osama Rabie, presidente da SCA.

Uma fonte da SCA confirmou à AFP as negociações com a empresa japonesa Shoei Kisen, proprietária do navio, e com seguradoras.

O almirante, citado esta terça-feira pelo Al-Ahram, indicou que o país deseja o pagamento de 900 milhões de dólares.

"O navio de bandeira panamenha Ever Given foi apreendido pelo não pagamento de 900 milhões de dólares [...] em virtude de uma sentença proferida pelo tribunal económico de Ismailia", no leste do país, afirmou.

O valor corresponde, segundo a fonte, às "perdas que o navio provocou à SCA, além do custo da operação de retirada e operações de manutenção".

O trânsito no canal, por onde passa mais de 10% do comércio mundial, foi retomado a 29 de março, depois de o cargueiro ter voltado a flutuar com a ajuda de especialistas internacionais.

Mais de 400 embarcações ficaram bloqueadas ao norte e ao sul do canal durante seis dias, o que formou grandes engarrafamentos.

O Ever Given tem um comprimento equivalente a quatro campos de futebol e foi atracado no Grande Lago Amargo, a meio do canal.

A SCA calcula que o Egito perdeu entre 12 e 15 milhões de dólares (cerca de 10,1 a 12,6 milhões de euros) por dia enquanto o canal permaneceu fechado.

Em 2019-2020, o Canal de Suez representou quase 5,7 mil milhões de dólares (quase 4800 mil milhões de euros) para os cofres do Cairo.

De acordo com a seguradora Allianz, enquanto o canal permaneceu bloqueado, a cada dia foram registadas perdas globais de entre 6 e 10 mil milhões de dólares (5 a 8,4 mil milhões de euros).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG