Exclusivo Deserções chegam à família Le Pen: Marion inclinada a apoiar Zemmour

Sobrinha da líder da Reunião Nacional pode juntar-se a outros nomes fortes do partido que têm virado costas a Marine Le Pen e declarado o apoio ao outro candidato da extrema-direita.

O apelido Le Pen tem sido sinónimo de extrema-direita em França nas últimas cinco décadas, mas a possibilidade de Marion não apoiar a tia Marine Le Pen nas presidenciais de abril revela que já não detém o monopólio desta corrente política. A eventual deserção da ex-deputada para a campanha de Éric Zemmour é mais um sinal de que o cenário está complicado para a líder da Reunião Nacional (RN, ex-Frente Nacional), que tem visto vários nomes do partido anunciarem o apoio ao antigo jornalista tornado adversário. Nalguns casos por considerarem que Marine Le Pen ficou demasiado moderada.

Marion, que em 2017 deixou a linha da frente da política e em 2018 passou a usar apenas o apelido Maréchal (do pai), disse na quinta-feira ao Le Parisien que "ainda estava a pensar" em quem apoiar nas eleições de 24 de abril. "Nenhuma decisão foi tomada", afirmou, deixando contudo claro que "se apoiar o Eric, não será apenas para aparecer e dizer olá", deixando entender que quer voltar para a política, mas não reacender os conflitos na família. Marion está grávida do segundo filho, fruto do segundo casamento com o italiano Vicenzo Sofo - eurodeputado eleito pela Liga, mas que passou para os Irmãos de Itália.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG