Condenados pelos atentados de Paris em 2015 desistem do recurso

O prazo para a apresentação de recurso era de 10 dias e expirou na segunda-feira à meia-noite.

Salah Abdeslam condenado a prisão perpétua pelos atentados de 13 de novembro de 2015 em França não vai recorrer da sentença, disse esta terça-feira à agência France Presse o procurador-geral de Paris, Rémy Heitz.

"Nenhum dos 20 réus recorreu", acrescentou Rémy Heitz.

O prazo para a apresentação de recurso era de 10 dias e expirou na segunda-feira à meia-noite.

No dia 29 de junho, e após quase 10 meses de julgamento, Salah Abdeslam tornou-se o quinto homem em França a ser condenado à prisão perpétua, a pena mais grave do código penal francês.

Outros 19 arguidos, seis dos quais dados como mortos mas julgados "in absencia", foram condenados a penas entre os dois anos de cadeia e a prisão perpétua.

Durante o julgamento, o único sobrevivente do comando jihadista que provocou 130 mortos e centenas de feridos em Paris e na cidade de Saint-Denis afirmou ter "desistido" de acionar o cinto de explosivos de que se encontrava munido, na altura em que estava num bar da capital francesa, na noite dos ataques.

O réu afirmou que "desistiu" por "humanidade".

O colete com explosivos que Salah Abdeslam carregava "não estava a funcionar", colocando "seriamente em questão" as declarações sobre a "desistência", responderam os procuradores durante as sessões do tribunal especial.

Contactados pela France Presse, os advogados de Salah Abdeslam ainda não se pronunciaram.

.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG