Biden tinha prometido não o fazer. EUA deportam centenas de imigrantes ilegais

Moratória aprovada por Biden que visava adiar estas deportações foi rejeitada por um juiz federal. Departamento de Segurança Interna deu instruções a que fossem priorizados indivíduos considerados ameaça à segurança ou que tenham atravessado a fronteira recentemente.

Centenas de imigrantes ilegais foram deportados conforme instruções da Administração Biden, depois de um tribunal ter rejeitado uma moratória aprovada pelo novo presidente.

Uma decisão da semana passada de um juiz federal ordenando à nova Administração que não executasse a moratória de 100 dias, aprovada no início do mandato de Joe Biden, para deportações de imigrantes ilegais, não obrigava o Governo a fazer deportações, mas estas ainda assim têm prosseguido, e de acordo com instruções específicas.

O Departamento de Segurança Interna deu instruções às forças de segurança, que hoje entraram em vigor, para que dessem prioridade à deportação de indivíduos considerados uma ameaça à segurança nacional ou que tenham atravessado a fronteira recentemente.

Nos últimos dias, a Unidade de Imigração de Alfândegas (ICE, na sigla em inglês), deportou, pelo menos, 15 pessoas para a Jamaica e 269 para as Honduras e Guatemala, estando mais voos agendados para hoje, segundo a AP.

A suspensão por 100 dias das deportações de imigrantes foi prometida por Joe Biden durante a campanha para as presidenciais de 2020, após receber duras críticas durante as primárias democráticas pelas deportações em massa da administração Barack Obama, da qual foi vice-presidente.

Durante a presidência de Obama, três milhões de imigrantes foram deportados, mais do que sob qualquer outro Governo dos Estados Unidos, incluindo o de Donald Trump.

A pausa de 100 dias nas deportações juntou-se a outra medida anunciada quarta-feira pelo Departamento de Segurança Interna: a suspensão do registo para o programa "Stay in Mexico", que permitiu a Trump devolver os requerentes de asilo ao país vizinho.

Além disso, Biden aprovou uma série de medidas de imigração no âmbito do pacote de 17 ordens executivas que assinou após se ter instalado na Casa Branca, tais como o reforço do programa para jovens sem documentos conhecidos como "sonhadores" ou a revisão das prioridades na detenção de imigrantes.

Biden apresentou também um plano de imigração que prevê a regularização de 11 milhões de imigrantes sem documentos, embora este projeto dependa do ​​​​​​​poder legislativo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG