Ativistas cobrem e colam-se a quadro na National Gallery, de Londres

Dois jovens colaram sobre uma pintura do séc. XIX um poster com uma imagem de poluição e depois prenderam-se a si mesmos à moldura. Dizem estar assim a lutar pelo ambiente.

Dois ativistas ambientais cobriram, esta segunda-feira, um quadro da National Gallery, de Londres, com uma imagem de uma paisagem devastada pelos combustíveis fósseis, e depois colaram-se à moldura da obra.

Os dois integrantes do movimento Just Stop Oil, que afirma atuar em defesa do fim imediato de qualquer novo projeto de petróleo ou gás, realizaram o protesto usando o quadro "A Carroça de Feno" (1821), do artista britânico John Constable, que representa uma carroça no campo a cruzar um riio.

Antes de se colarem à pintura, os ativistas cobriram-na com uma "versão reimaginada", com uma estrada no lugar do rio, árvores secas e aviões no céu poluído. "Uma cena de pesadelo que mostra como o petróleo destruirá nossas paisagens", explicou a referida organização em comunicado.

Hannah Hunt, de 23 anos, estudante de Psicologia em Brighton, que é citada na nota, afirmou que se mobiliza contra os "40 novos projetos de energias fósseis do governo", um número muito citado por associações ambientais.

"Podemos dizer adeus às aprazíveis terras verdes da Inglaterra, pois a extração de petróleo causará perdas generalizadas de plantações", declarou Hunt.

"Este quadro faz parte do nosso património, mas não é mais importante que os 3,5 mil milhões de homens e mulheres que estão em risco devido à crise climática", disse Eben Lazarus, de 22 anos, estudante de música.

Os dois ativistas não foram detidos, informou a polícia de Londres à AFP.

A Just Stop Oil realizou várias ações na semana passada em Londres, Manchester e Glasgow.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG