9402 casos de covid ligados aos jogos do Euro 2020 no Reino Unido

Estudo publicado diz que a caminhada de Inglaterra até à final da competição "gerou um risco significativo para a saúde pública em todo o Reino Unido"

Mais de 9000 casos confirmados de covid-19 foram associados a jogos do Euro 2020, concluiu um estudo de eventos de massa conduzido pelo ministério da Cultura e pela Saúde Pública de Inglaterra e citado pelo The Guardian.

Os cientistas disseram que a caminhada de Inglaterra até à final da competição "gerou um risco significativo para a saúde pública em todo o Reino Unido".

Uma análise divulgada esta sexta-feira revelou que mais de 85% de todas as infeções relacionadas aos 41 dias de vários eventos desportivos, musicais e de entretenimento ao país estavam ligadas a oito jogos do Euro 2020, principalmente as meias-finais e a final.

No torneio de ténis de Wimbledon, outro evento-teste, o número de casos foi residual. Embora esse certame tenha levado até aos recintos desportivos cerca de 300 mil pessoas e tivesse tido jogos em que a lotação permitida era de 100%, apenas surgiram 881 casos.

Dos 9402 testes positivos à covid-19 feitos a adeptos presentes nos jogos do Euro 2020, 3036 pessoas reportaram sintomas no espaço de dois dias após o jogo, o que indica que provavelmente estavam já infetadas quando foram ao estádio.

"O torneio em si e a caminhada de Inglaterra de Euro 2020 geraram um risco significativo para a saúde pública em todo o Reino Unido, mesmo quando Inglaterra jogou no estrangeiro", indica o relatório, liderado pela vice-diretora médica da Saúde Pública de Inglaterra, Jenifer Smith.

Além das multidões em torno de bares, o estudo revela que os espetadores do Euro 2020 se foram tornando gradualmente menos obedientes às regras, nomeadamente no que concerne à utilização de máscaras. A final entre Inglaterra e Itália, que gerou quase metade dos casos de covid-19 durante a competição, foi marcada por uma desordem em massa, incluindo a intrusão de adeptos sem bilhete.

"A Euro 2020 foi uma ocasião única e é improvável que venhamos a ter um impacto semelhante nos casos de covid-19 em eventos futuros", afirmou Jenifer Smith. "No entanto, os dados mostram como o vírus pode espalhar-se facilmente quando há contacto próximo, e isso deve ser um aviso para todos nós, enquanto tentamos voltar progressivamente a uma normalidade cautelosa", acrescentou.

Olivier Dowden, secretário de Estado com a pasta do desporto, disse que o Reino Unido pode "reintroduzir desportos de massa e eventos culturais em segurança, mas é importante que as pessoas permaneçam cautelosas ao misturarem-se em ambientes com muita gente".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG